Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Estudando o verbo "bara"

Numa busca rápida pelo google, vamos encontrar diversos artigos que giram em torno do tema criacionismo versus evolucionismo, e a maioria destes sempre vem com uma base nas descrições relacionadas ao livro de Gênesis. Há muita objeção por parte dos criacionistas de que os primeiros capítulos da Bíblia deem suporte a qualquer coisa que seja parecida com o evolucionismo. A teoria da evolução é sempre apresentada como vilã por, supostamente, "fornecer ensinamentos contrários a Bíblia"... No entanto, como o leitor poderá ver no blog, nós evidenciamos que a teoria da evolução não exclui Deus e também que muitos de seus princípios fundamentais não entram em conflito com a Bíblia. Mas uma coisa temos que nos perguntar: o verbo original para "criar" - quando diz que Deus criou algo - não entra em conflito com a idéia de evolução?

Nesse estudo, apresentaremos uma análise muito curiosa e extensa sobre os termos originais no hebraico da palavra "criar" e que relação este verbo pode ter com o conceito apresentado pela teoria evolutiva. Para tal, tivemos acesso a Bíblia na versão King James e a alguns estudos dos conceitos originais do hebraico que nos permitem trazer uma conclusão surpreendente a respeito disso.

AO PÉ DA LETRA

No hebraico original, o capítulo 1 de Gênesis apresenta 9 vezes o verbo בָּרָא  (bara). Comumente, o verbo têm sido traduzido como "criar do nada", ou ex-nihilo. O tema do verbo aplicado nesse sentido, como uma criação a partir do nada, está sendo comprovado pela física quântica e já foi abordada no artigo "a questão do ex-nihilo". No entanto, para cada parte do capítulo 1, podemos encontrar aplicações e sentidos diferentes, ou seja, o verbo  בָּרָא pode significar muito mais do que isso...

Vamos, então, nos debruçar na definição básica dos sentidos literais da palavra  בָּרָא . As surpresas começam justamente quando vemos tais definições:

בָּרָא

bârâ'
criar, moldar, formar
1a) (Qal) moldar, dar forma a, criar (sempre tendo Deus com sujeito)
1a1) referindo-se ao céu e à terra
1a2) referindo-se ao homem individualmente
1a3) referindo-se a novas condições e circunstâncias
1a4) referindo-se a transformações
1b) (Nifal) ser criado
1b1) referindo-se ao céu e à terra
1b2) referindo-se a nascimento
1b3) referindo-se a algo novo
1b4) referindo-se milagres
1c) (Piel)
1c1) cortar
1c2) recortar
2) ser gordo
2a) (Hifil) engordar

Segundo alguns comentaristas bíblicos, o verbo בָּרָא também tem o sentido de criar do nada, como já comentamos anteriormente, ou também de "preenchimento", mas nesses dois casos, Deus sempre é o sujeito.

Na língua portuguesa, o sentido de uma palavra depende muito da aplicação de seu contexto. Por exemplo, quando falamos "vou tomar um ônibus", entendemos o verbo "tomar" no sentido de "pegar" e não de "beber", que seria o sentido deste verbo caso disséssemos: "vou tomar um suco de uva". No hebraico, acontece exatamente a mesma coisa. Na parte 2 do estudo "Os dias da criação" nós vimos que o sentido da palavra Yohn - "dia" em hebraico - tem mais de um significado mas isso depende de quando o mesmo é aplicado. É o exato caso do verbo בָּרָא

DO NADA VEIO TUDO

Na definição que acabamos de ver, fica óbivo que a aplicação de בָּרָא em Gênesis 1 diz respeito, apenas, ao verbo no sentido "1a" - o de moldar, dar forma a, criar, tendo sempre Deus como sujeito. Porém, vamos agora nos debruçar na aplicação do verbo, ou seja, no que ele se refere.

No primeiro versículo, "No princípio, criou Deus os céus e a terra", vemos a aplicação de  בָּרָא nesse exato sentido - e ele se encaixa perfeitamente com a teoria (não confunda com hipótese) cosmológica mais aceita atualmente conhecida como "Big bang". Ao contrário do que muitos pensam, o Big bang não foi uma explosão desorganizada, mas sim uma expansão do espaço-tempo pra lá de organizada, vindo a partir de uma singularidade, sendo singularidade, simplesmente, algo que "não se sabe o que é". Essa singularidade pode ser muito bem a criação a partir do nada (antes do Big bang) do qual refere-se Gênesis 1. Deus é Aquele que traz algo da inexistência para a existência. Mais detalhes a respeito dessa harmonia bíblica com o Big bang você pode ler neste artigo do nosso blog.

DEUS "MÁGICO"

Com isso, já encontramos uma primeira harmonia do texto original hebraico com um conceito científico, o do Big bang. Mas seria por acaso a palavra בָּרָא em Gênesis 1 SEMPRE no sentido de "criar do nada"? De acordo com uma boa gama de criacionistas, sim. Mas estariam eles certos?

Os criacionistas comumente citam a chamada "criação especial", já discutida nesse artigo do blog. Ela coloca Deus como um mágico esotérico: aquele que num passe de mágica faz aparecer um cachorro aqui, um velociraptor ali, um elefante acolá... É dessa maneira que os criacionistas imaginam Deus criando, e para essa ideia ser válida a única forma seria dizer que todas as 9 aplicações de  בָּרָא em Gênesis 1 possuem o mesmo sentido. Mas uma olhada bem atenta no texto original do hebraico pode nos fazer mudar de idéia e nos trazer algo que para muitos é impensável: a real consideração da teoria da evolução na Bíblia em seu sentido original no hebraico!

Uma velha regra da hermenêutica diz que devemos interpretar a Bíblia pela própria Bíblia. Levando isso em conta, podemos ter uma surpresa ao analisar Gênesis 1 a luz de Gênesis 2. Vejamos: Em Gênesis 1:26 é relatada a criação do homem a Imagem e Semelhança de Deus (Imago Dei), e para esse caso vemos a palavra hebraica בָּרָא. Mas, debruçando-se em Gênesis 2:7, vemos que Deus cria o homem a partir de uma matéria pré-existente (o barro ou argila, conforme tradução da palavra original Adamah no texto em hebraico). No caso de Gênesis 2:7, no entanto, é usado um verbo diferente, צֶר que tem por tradução moldar, dar forma, no mesmo sentido da obra de arte que um oleiro faz. (cabe, no entanto, lembrarmos que Deus não é antropomórfico e o fato deste verbo dizer que Deus "moldou" não implica dizer que ele moldou o homem da mesma maneira que um oleiro molda um vaso. O termo pode ser inclusive uma analogia; Deus certamente pode ter moldado o homem por outros meios). Ou seja, Deus criou o homem de matéria pré-existente. A mesma coisa podemos dizer de Eva, que foi formada da costela de Adão, e dos animais, que teriam tido também a mesma base de formação que o homem conforme vemos Gênesis 2:21.

Isso significa que quando temos o termo  בָּרָא referindo-se a criação das coisas vivas, a Bíblia não está falando do ex-nihilo, mas sim do sentido de moldar, formar e até mesmo se referir a transformações. Preste atenção nesse trecho da definição de  בָּרָא:

bârâ'
criar, moldar, formar
1a) (Qal) moldar, dar forma a, criar (sempre tendo Deus com sujeito)
1a1) referindo-se ao céu e à terra
1a2) referindo-se ao homem individualmente
1a3) referindo-se a novas condições e circunstâncias
1a4) referindo-se a transformações

Temos que encarar os fatos: Deus executou uma transformação de matéria quando criou os seres vivos. Nenhum oleiro humano conseguiria criar um animal com toda a sua estrutura orgânica apenas se valendo de argila, pois para tal precisaríamos da transmutação da argila para a composição orgânica de um ser vivo. Pior: teríamos que ter obrigatoriamente a chamada abiogênese, ou seja, surgimento de vida de matéria não-viva. Então nesse caso, sim,  בָּרָא também faz referência a transformações, ou seja, Deus, ao criar, transformou coisas que não eram em coisas que são. Ele se valeu de matéria pré-existente.

Isso significa que Deus valeu-se de transformações a partir de uma matéria inicial para criar os seres vivos. Mas... não é isso o que diz a teoria da evolução?

Vejamos alguns fatos sobre a definição da teoria da evolução dadas pela Wikipédia:

"Evolução (também conhecida como evolução biológica, genética ou orgânica), no ramo da biologia, é a mudança das características hereditárias de uma população de uma geração para outra. Este processo faz com que as populações de organismos mudem e se diversifiquem ao longo do tempo."

"Todos os seres vivos da Terra descendem de um ancestral comum ou de um pool genético ancestral."

Ou seja, o conceito de  בָּרָא em Gênesis 1, quando se refere a criação dos seres vivos, diz respeito diretamente a evolução das espécies. Não uma evolução cega que vai acontecendo por consequência do acaso ao longo do tempo,  mas algo divinamente planejado, exatamente da maneira que o ex-coordenador do Projeto Genoma, Francis Collins, diz:

"Eu vejo a mão de Deus trabalhando através dos mecanismos da evolução. Se Deus escolheu criar seres humanos a sua imagem e decidiu que os mecanismos da evolução fossem um elegante modo de cumprir esse objetivo, quem somos nós para dizer que não foi assim?"

LETRA POR LETRA

Por fim, podemos ainda ter uma surpresa maior quando vemos o sentido léxico da palavra  בָּרָא. Cada uma dessas letras possui um significado, um sentido, que está relacionado ao poder e procedência de Deus ao criar.

No hebraico antigo, בָּרָא era o pictograma de uma tenda, a cabeça de um homem e a cabeça de um boi. Essa palavra em paleo-hebraico era escrita da maneira que você pode ver abaixo:


Vamos analisar as três letras separadamente e compreendê-las nesse contexto científico: (A sequência é da esquerda para a direita)

Alef = א Resh = ר bet = בָּ

PRIMEIRO: bet = בָּ

Dentro de sua pictografia antiga, é muito interessante sua ideia por trás da palavra. A tenda transmite a ideia de espaço, lugar, habitação, forma física. No caso do cosmos, a letra בּ (beyth) corresponde a habitação da vida física, principalmente a Terra, uma vez que no primeiro versículo da Bíblia בָּרָא “criar” está relacionado com à “Terra”, como a habitação dos seres humanos. Interessante que um dos verbos gregos usados na LXX para traduzir בָּרָא foi κτιζω que significa “povoar um lugar.” (Thayer) Essa tradução intercambiária não ocorre no A.T, mas apenas no N.T em hebraico em Apocalipse 4:11.

O professor de física Freeman Dyson comenta:

“Quanto mais eu examino o universo e estudo os pormenores da sua arquitetura, tanto mais evidência encontro de que o universo, em certo sentido, deve ter sabido que nós estávamos chegando.”

Ou seja, como que Alguém “criou” o Universo, especialmente a Terra, para ser a nossa habitação. Essa questão, surpreendentemente, é científica e conhecida na ciência como princípio antrópico (http://pt.wikipedia.org/wiki/Princ%C3%ADpio_antr%C3%B3pico).

SEGUNDO: Resh = ר

A letra ר (resh) no paleo-hebraico era a pictografia da cabeça de um homem. Essa parte também desempenha uma função muito importante na transmissão do verbo בָּרָא dentro da criação cosmológica. Esse pictograma implica na ideia de “primeiro, início, começo, proeminência.” É dessa letra que surge a primeira frase da Bíblia בְּרֵאשִׁית (bereshit “no princípio”) que vem de ראשׁית (re’shith “início”) que vem de ראשׁ (ro’sh “cabeça”) e ro’sh de nossa letra base.

Particularmente acho essa letra a mais importante, pois ela resume o que é realmente “criar”. A pictografia da cabeça de um homem demonstra também a inteligência, a mente por trás da criação. Nada poderia mais resumir a perfeição por trás do cosmos e nosso belo lar chamado “Terra”. Percebemos inteligência, uma Mente superior por trás da obra criativa. Como disse Einsten:

“Quanto mais eu observo o universo mais ele se parece a um grande pensamento... .”

TERCEIRO: Alef = א

Por último, e não menos importante, vemos o א que no pictograma do paleo-hebraico é a cabeça de um boi. No pensamento hebreu, este tinha a ideia de força, de poder, domínio. Assim, fato é, que para causar toda a criação, faz-se necessário um poder sobre-humano, poder este que foi usado para trazer todas as coisas à existência. A atuação em torno da evolução biológica se resume, no caso, a esta letra hebraica.

É interessante também frizarmos, a respeito disso, que existem indicios inclusive de "evoluções" que teriam acontecido tão rápido, relativamente falando, que se torna dificílimo conceber que processos aleatórios teriam a conduzido, como cita o professor Marcos Eberlin, crítico da teoria da evolução, ao falar da evolução dos cetáceos (baleias). Segundo as pesquisas mais recentes, essa transformação de animais teria ocorrido num período de apenas 5 milhões de anos - e não podemos falar que não aconteceu essa transformação porque temos diversos fósseis transicionais desse estágio (leia mais sobre isso aqui). Existem várias hipóteses, ainda em discussão, de como tudo isso teria ocorrido tão rápido. Agora é só pensar: não teria Deus poder para desenrolar no tempo d'Ele todo esse verdadeiro processo de Criação desses seres?

Portanto, resumindo todas as três letras pictograficamente, nós temos a ideia de espaço físico, habitação, inteligência criativa e força de execução ou energia dinâmica - que é onde entra o conceito de processo evolutivo. Essas são as três coisas, as três ideias necessárias para a criação do cosmos, a transformação de energia em matéria, e a matéria em criação inteligente. E com isso, também, fica mais claro a questão a respeito de criação versus evolução.

CONCLUSÃO

É interessante como se geralmente é utilizada a versão ou em inglês ou a versão em português da Bíblia contra a teoria da evolução pelos criacionistas. Uma revista de escola bíblica até chegou a dizer: "Na Bíblia está escrito 'No princípio criou Deus os céus e a terra' e não 'No princípio evoluíram os céus e a terra'", como se isso fosse suficiente para dizer que a teoria da evolução e o Big bang são inconcebíveis a luz da Bíblia. Nós acabamos de ver que, pela análise do verbo  בָּרָא, a ciência moderna é concordante em gênero, número e grau com o que a Bíblia diz, ao mesmo tempo que, para nossa surpresa, vemos a Bíblia se antecipando com relação a essas teorias, afinal Darwin sequer tinha nascido quando Moisés teve a revelação do Gênesis!

Com isso vemos a importância de se analisar corretamente o contexto da Bíblia quando o assunto diz respeito a leitura dos fatos no texto. Imagine quantas discussões em torno de criacionistas e evolucionistas teriam sido evitadas se uma análise como essa tivesse sido feita antes! Não é a toa que na Bíblia diz que o povo perece por falta de conhecimento (Oséias 4:6). O sentido espiritual do Gênesis, porém, não necessariamente precisa de uma análise hermenêutica como a aqui apresentada, pois esta é revelada pelo Espírito Santo a todo aquele que, de coração, quiser O buscar em Espírito e em Verdade. Isso nenhum biblicista, nenhum evolucionista e nenhum criacionista pode te revelar (a não ser que Deus queira usá-lo para tal, pois se for necessário Deus usa até uma jumenta para falar com o homem (Números 22)).

BIBLIOGRAFIA:

Bíblia Sagrada - Versão King James

http://pt.wikipedia.org/wiki/Evolu%C3%A7%C3%A3o

http://bibliotecabiblica.blogspot.com.br/2010/05/verbo-criar-em-genesis-11-part-i.html

http://bibliotecabiblica.blogspot.com.br/2010/05/cosmologia-de-genesis-11-part-ii.html

36 comentários:

  1. Em português simples e claro: a gente sempre acaba encontrando o que busca a vida inteira. Viva o Espírito Santo!

    ResponderExcluir
  2. Concordo que Deus formou (moldou) o homem a partir de uma matéria pré existente, mas essa matéria não continha vida. O homem só se tornou alma vivente após Deus soprar o seu fôlego de vida em seus narizes (após a completa formação do seu corpo). Nada tem a ver a teoria da evolução com o que está escrito em gênesis. O homem não originou-se de um ancestral comum, tampouco todos os animais originaram-se de uma única célula viva que evoluiu com o passar dos tempos. A criação foi um milagre, (não um passe de mágia), mas o milagre da criação com todas a suas reações químicas que deram origem a vida na terra, são inexplicáveis.

    É preciso enfatizar o fato de Deus ter criado a mulher, muito depois que o homem já estava formado, vivo e já tinha colocado nomes em todos os animais viventes, conforme (Gênesis 2.19 a 21). Ou seja, o homem "evoluiu" para homo sapiens, e a mulher ainda não existia? que coisa não?

    A Criação do homem foi um milagre (não um passe de mágica), mas todas as reações químicas que transformaram matéria sem vida ("pó da terra") em células vivas com todas as suas partículas atômicas e reações químicas que nelas ocorrem, não podem ser explicadas pela teoria da evolução, e nunca serão.

    TEORIA DA EVOLUÇÃO nada tem a ver com a Criação descrita em Gênesis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Issacar por colocar a sua posição! Vamos a resposta:

      A Bíblia não diz se a matéria pré-existente tinha vida ou não. Tradicionalmente muitos dizem que não, mas não há um indicativo de que não tivesse vida física. Até porque não foi só o homem mas não todos os animais que foram formados dessa matéria pré-existente (Eclesiastes 3:20), sendo assim Deus teria soprado o fôlego "físico" em todas as criaturas?? Estranho, não?
      E no mesmo capítulo é registrado que há diferença entre vida física e vida espiritual. Os próprios eruditos bíblicos dos primeiros séculos da era cristã compreendiam isso...

      Sobre a questão de Eva, que é uma questão que você sabiamente levantou, a explicação está aqui: http://genesisum.blogspot.com.br/2011/02/estudando-origem-do-homem-parte-2.html

      Só para encerrar, teoria da evolução não estuda a biopoese (origem da vida). A evolução só trata das modificações ocorridas nas espécies, ou conforme esse artigo, a maneira que Deus criou os seres viventes...

      Fique na paz, e espero que analise com carinho essa resposta!

      Excluir
  3. Li o link que você mandou, e a confusão só aumentou em relação a criação do homem e da mulher, principalmente, relacionando com a teoria da evolução.

    -Quanto aos animais, a bíblia não mostra Deus soprando fôlego de vida em todos os animais, apenas que eles se tornaram, ou que a terra e as águas produziram animais de "ALMA VIVENTE".

    Assim como os animais (Gênesis 2.19), o homem também foi formado da terra (Gênesis 2.7). Porém, o homem só se tornou “alma vivente”, após o fôlego de vida ser soprado em seus narizes (parte do corpo - já "evoluída"), qualquer que seja a relação que a ciência faz entre um ser "vivo", ou espécie anterior ao Homem criado por Deus (Primeiro Homem), torna-se incoerente com a Palavra, porque esse ser anterior também já seria uma "alma vivente", sem haver necessidade de Deus soprar o seu fôlego de vida para o tornar "alma vivente" novamente.

    Note que, assim como na formação da Mulher, onde não há relato de “sopro do fôlego de vida” nos narizes DELA, como foi com Adão, também não há relato de Deus “soprando fôlego de vida em todos os animais” de "alma vivente". Se os animais se tornaram “alma vivente” creio eu que isso só foi possível com o “fôlego de vida da parte de Deus”. A VIDA tem origem em DEUS!

    Obs: a mesma palavra em hebraico "NEFESH" traduzida por "ALMA" é utilizada para todos os seres vivos (homem e animal).

    O link do artigo também fala que a criação da Mulher foi uma obra miraculosa de Deus para suprir a solidão do homem, ainda fez alusão a células tronco (plausível), mas por que a do homem não seria da mesma forma miraculosa?
    Quanto a isso, o link mostra uma explicação sem pé nem cabeça.

    Visto que uma espécie animal como a que originou o primeiro homem, a evolução não seria possível, pois uma espécie não subsistiria sem o poder da reprodução.

    Se não havia fêmea para o "primeiro homem", não havia também para as espécies menos desenvolvidas, ou evoluídas desse homem.

    Outra observação horrível feita no link é que “DEUS não planejava, a princípio criar a mulher”, só fez isso para o homem não ficar só, como se o intuito de Deus não fosse a reprodução e multiplicação da raça humana, e sim, resolver a solidão de Adão.

    Essa foi horrível. Simplesmente porque Deus, em sua perfeição, jamais faria algo sem planejar... tudo já estava em seus planos, os mínimos detalhes, cada célula, órgão e função do corpo do homem, já foi criado pensando no corpo da mulher, Deus não foi criando as coisas como se não soubesse o que estava fazendo, ou no que ia dar.
    O fato de Deus ter dito que “não era bom o homem estar só”, creio que isso ele já sabia desde o princípio, e já planejava fazer a mulher (fêmea), como criou macho e fêmea todos os animais, e ordenou que eles se reproduzissem. Por que com o homem seria diferente?

    Eu reitero, não tem como relacionar Teoria da Evolução das Espécies com a Criação de Gênesis.

    EVOLUÇÃO = Seleção natural, o mais forte subsiste sobre o mais fraco, animal se alimentando de animal (MORTE)
    CRIAÇÃO= perfeição, paraíso, (sem morte, sem maldição do pecado, apenas a vida) ANIMAIS VEGETARIANOS.

    Espero ter colaborado.

    Fica na PAZ!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia! Eu li sua resposta e vou dar a explicação mais suscinta possível... pois o tempo não permite entrar com mais profundidade no assunto. Vamos lá!

      Inicialmente, tem a questão do termo “alma vivente” que está empregado em Gênesis 2:7 no contexto original em hebraico. Se você notar, o que te passei é a parte 2 de um estudo (aí confesso foi falha minha, teria que ter passado a parte 1 também). Vendo as duas partes e os outros artigos do blog, veremos que o termo “alma vivente” em Gênesis 2:7 tem um contexto – e logo, um sentido – diferente de todo o resto do Gênesis. É um erro generalizarmos o termo “alma”, na Bíblia ele tem mais de um significado. E pela lógica do seu argumento, faço a pergunta de volta: Ora, se pelo que você diz os animais já foram formados com fôlego de vida e tudo mais mas tiveram a mesma origem comum (pó da terra) por que o homem foi formado primeiro como um "animal sem vida"? E como foi essa formação? Será que Deus teria que ter necessariamente moldado o homem como alguém molda um vaso?

      A explicação do porquê de Adão ter sido formado de forma diferente da mulher e de estar só num ambiente onde teoricamente haveriam outros hominídeos só está na “parte 1” do "estudando a origem do homem". Deus, quando soprou a vida espiritual em Adão, tornou-o um ser diferenciado dos demais, e isso foi tão intenso que de fato tornou o homem uma nova criatura, com alma, e não propensa a morte. O pecado de Adão e Eva lhes fez ter a condição “animal”, tal qual é demonstrada em Eclesiastes 3:18. Aliás, Eclesiastes 3:20 dá a entender que homem e animais foram feitos da mesma forma. Sobre a explicação “sem pé nem cabeça”, que explicação é essa? Será que parece sem pé nem cabeça porque você não a entendeu? Fale pra mim que parte que é para eu melhorar a didática da mesma...

      Sobre “não havia também para as espécies menos desenvolvidas, ou evoluídas desse homem” a explicação, novamente, está na parte 1 e no fato de entender a questão dos “saltos evolutivos” e do fato de que o Sopro Divino alterou a configuração física do homem, tornando-o a Imagem e Semelhança de Deus, uma nova criatura, de fato.

      Excluir
    2. (continuação da resposta)

      Agora tem algo que você chamou de horrível (olha a crítica ofensiva aí...) é a afirmação, segundo você,de que eu disse que “Deus só fez isso para o homem não ficar só, como se o intuito de Deus não fosse a reprodução e multiplicação da raça humana, e sim, resolver a solidão de Adão.” Em primeiro lugar, o argumento de que Deus não teria tido a ideia de criar a mulher a princípio e ter criado ao notar que Adão sentia-se só é defendida por noventa e nove por cento dos pregadores e estudiosos bíblicos (tem até uma pregação em forma de “poesia” do Pr. Claudio Duarte que ilustra de forma muito legal isso), logo não entendo como você define como “horrível” algo defendido pela esmagadora maioria dos teóricos. Mas, pra não ficar só no “argumento ad hominem”, vou responder de forma mais respeitosa a sua crítica (crítica essa que achei meio ofensiva). Quando você diz que “tudo já estava em Seus planos, os mínimos detalhes, cada célula, órgão e função do corpo do homem, já foi criado pensando no corpo da mulher, Deus não foi criando as coisas como se não soubesse o que estava fazendo, ou no que ia dar”, concordo... assim como Deus também já sabia que o homem iria pecar e que Seu Filho Unigênito morreria em seu lugar... Então, digamos que Deus planejara e ao mesmo tempo não planejara. É difícil de entender isso, até porque tentar entender essa dualidade implicaria em tentar entender a mente de Deus... Em outras palavras, seu argumento tem a mesma “categoria” daquele famoso “se Deus sabia que o homem iria pecar por que colocou a fruta no jardim?”.

      Além disso, se o que eu disse no artigo é "horrível", temos que nos perguntar o seguinte:
      - Por que Deus não criou então Eva também “modelando do barro”?
      - Por que Gênesis 1:26 diz do domínio do homem no singular e só depois quando menciona-se que Deus criara macho e fêmea é que vem a ordem para se multiplicar e dominar no plural? Por que o plural não foi usado logo no início, assim como nas descrições da Criação em versículos anteriores, onde sempre referia-se aos seres vivos no plural?
      - Por que Deus criara o homem imortal e os outros animais não? Observe que o fato do homem ser imortal no princípio e ter sido criado sozinho em gênero coincide perfeitamente com Gênesis 1:26 e 27...

      Agora, só comentando sua última afirmação:
      "EVOLUÇÃO = Seleção natural, o mais forte subsiste sobre o mais fraco, animal se alimentando de animal (MORTE)
      CRIAÇÃO= perfeição, paraíso, (sem morte, sem maldição do pecado, apenas a vida) ANIMAIS VEGETARIANOS."

      Não é bem assim. Esse tema é tratado no artigo “o Predatismo e o Gênesis”. Compreende o que o texto quer dizer com “erva verde lhes é dada por mantimento” e “morte” no livro de 1 Coríntios. Também implica em responder a essas perguntas: se o predatismo é uma maldição, por que as plantas morriam antes da Queda já que são seres vivos também? E por que vemos hoje sistemas complexos de caça em animais, uma vez que se fosse uma maldição tais sistemas complexos seriam oriundos do pecado? Maldição gera sistemas complexos de vida? E o que dizer de fósseis de animais carnívoros das eras anteriores ao homem, como o caso do Velociraptor atracado a uma presa ou então das escamas de peixe encontradas no ventro do Baryonyx (pesquise no Google e vai entender a importância desses achados para a questão)? TODAS essas perguntas são respondidas, com base bíblica e científica, no artigo “O Predatismo e o Gênesis”, desse blog: http://genesisum.blogspot.com.br/2010/11/o-predatismo-e-o-genesis-parte-1.html

      Entretanto, percebe que a negação da evolução é mais por motivos de INTERPRETAÇÃO do texto bíblico do que motivos científicos?

      Aguardo a sua resposta ao meu comentário. Espero que possamos debater com clareza e educação, sem faltar com respeito (chamar essa ou aquela afirmação de “horrível” considero falta de respeito, por exemplo).

      Fique na paz!

      Excluir
  4. Caro irmão Rodrigo, antes de tudo peço-lhe desculpas pela expressão “horrível” que usei na resposta anterior, percebo que não foi nada gentil, e acredite, não tive intenção de lhe ofender ou mesmo desmerecer sua postagem. foi mal mesmo.. perdão!

    Continuando...
    Sobre os hominídeos, e os seres anteriores a estes na escala evolutiva, fiz uma pesquisa rápida (não verifiquei a origem, mas creio que seja confiável), quero usar apenas pra ilustrar o meu raciocínio. De acordo com o que pesquisei, as etapas da evolução incluem: PRIMATAS - HOMINOIDES – HOMINÍDEOS - HOMO HABILIS - HOMO ERECTUS - HOMEM DE NEANDERTAL - HOMO SAPIENS.
    -O comentário que fiz alegando que não há espaço para ‘evolução’ na formação do homem pelo Criador, é o fato de não haver fêmea para esse homem. Apenas isso. Todos esses que citei se reproduziam de forma “SEXUADA”, eram mamíferos (como nós somos), havia uma fêmea mamífera, por isso “na evolução das espécies”, não haveria como uma espécie manter-se viva, principalmente por milhões de anos, subsistir a uma seleção natural, enchendo a terra, evoluindo, sem se reproduzir, ela seria extinta.

    Exemplo: se havia um primata MACHO, ou milhares deles, todos “morreriam de velhice”, sem que pudessem evoluir. Tendo em vista que você disse que os animais (de alma vivente) morriam, e havia predatismo, seria isso que ocorreria (crendo que esses primatas, antes do SOPRO DIVINO, eram apenas animais de 'alma vivente', e estaria competindo por território, alimento e tudo mais com os outros animais de alma vivente).

    -PARA TODO ANIMAL DE ALMA VIVENTE, havia uma fêmea, como quem ele pudesse reproduzir de forma sexuada (segundo sua espécie), como assim Deus ordenou que fizessem, logo que os criou. (salvo alguns espécies minúsculas que conhecemos, que se reproduzem de forma assexuada). Mas NUNCA, mamíferos, como nós, e nosso supostos “ancestrais”.

    --Em relação a (Eclesiastes 3.18 ao 20). Entendo que o poeta quer dizer (poeticamente) que, tudo é vaidade debaixo do sol. E usa a comparação da mortalidade do homem em relação a dos animais, que, sendo formados do mesmo pó, tendo o mesmo fôlego, e assim, a mesma morte, os humanos não teriam vantagem alguma em relação aos animais. Creio que ele chama a atenção do homem para o fato de que, sem Deus, somos meros mortais, tudo que fazemos, na nossa condição humana é efêmero e passageiro, assim como a condição dos animais, simplesmente, vaidade.

    ...CONTINUA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz, Issacar!
      Bom, como você dividiu também as respostas, vou comentando uma a uma...

      1º - A escala evolutiva que você pegou não é beeem o que se documenta de fato. É meio difícil de explicar mas não foi assim um gerando o outro sequencialmente. Pra início de conversa, o Neanderthal não gerou o Homo sapiens, mas sim foi um tipo de humano também, como a gente, mas com algumas diferenças anatomicas. É como se fosse outra raça. E este veio de um mesmo ancestral comum (Homo heidelbergensis). Aliás isso é muito interessante porque o fato de ter existido duas gerações de humanos a partir de uma matriz bate assustadoramente com o que a Bíblia diz sobre a descendência de Caim e de Sete a partir de Adão. Tem alguns artigos nesse blog que falam sobre isso.

      2º - Eu concordo que se a evolução ocorresse da maneira que você descreveu aí de fato não só contrariaria a Bíblia mas a própria lógica... Acontece que a evolução não ocorre em um indivíduo mas sim a nível populacional. Além disso eu entendo que as modificações genéticas que ocorreram de uma espécie para outra foram regradas por Deus. Então, entendo que quando apareceu no planeta, após modificações genéticas populacionais, a primeira "matriz" humana, nela foi inserida o sopro divino, e isso gerou uma modificação espiritual e até física (imortalidade) instantãnea: Adão era uma nova criatura literalmente.

      3º - Eclesiastes 3 traz essa mensagem de fato, mas observe que os versos 3:20 mencionam que TODOS (homem e animal) vieram do pó e ao pó voltarão. Ou seja, o autor do texto iguala a origem animal a do homem. Você mesmo admitiu que o texto diz que "foram formados do mesmo pó."...

      (CONTINUA)

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. (CONTINUAÇÃO)...

    ---COMENTÁRIO DAS PERGUNTAS (Gênesis 1.26, 27 e 28)

    -O Capítulo 2 de Gênesis, iniciando do versículo 4 até o 23, é o relato detalhado do SEXTO DIA da criação.
    Deus quis detalhar, porque faria sua obra prima, a coroa da criação, o homem (ser humano, macho e fêmea).
    Não é o caso de Gênesis 1.26, 27 e 28, que fala resumidamente da criação do homem.

    -Existem detalhes muito importantes em Gênesis 1.26, 27 e 28., que creio que você deixou passar (contexto resumido e o detalhado)

    -Analisando por versículo:
    -(Genesis 1.26) Este não é o relato do ATO divino da criação, apenas o relato de Deus propondo a sua ideia, brilhantemente planejada de coroar a criação com um ser (de alma vivente) ‘superior’ a todas as outras criaturas, e sendo assim, dominaria sobre todas elas, também de alma vivente (peixes, animais, e também, toda a terra).

    -(Gênesis 1.27) Este sim é o relato do ATO da criação (sem nenhum detalhe).
    Note que nesse versículo a palavra HOMEM (que pode ser traduzida por “HUMANIDADE”, ou “seres humanos) não é designada apenas para referir-se à criação do gênero masculino, e sim para ambos (MACHO E FÊMEA), sendo ambos criados à imagem e semelhança de Deus.

    -(Gênesis 1.28) Este é o relato após a criação do homem (ser humano – macho e fêmea), onde Deus ordena não apenas ao HOMEM, mas também à MULHER, a ideia que Ele propôs inicialmente no (v. 26 “FAÇAMOS O HOMEM) e deu a ordem aos DOIS (varão e varoa): Frutificai, e MULTIPLICAI-VOS (plural), e enchei a terra, e dominai sobre as outras criaturas.

    RESUMINDO:
    (v. 26) Deus, propõe a ideia de criar o homem; define como será criado este homem (à imagem e semelhança de Deus), e a finalidade, propósito de sua existência na natureza, a princípio, (dominar sobre as criaturas da terra).

    (v. 27) Deus executa a ideia proposta; cria o homem (macho e fêmea), do modo como disse que seria (à imagem e semelhança de Deus). E os criou MACHO E FÊMEA.

    (v. 28) E por fim, mostra ao homem, que viva em conformidade com a finalidade pra que fora criado (que domine sobre as criaturas já existentes). O mais interessante é que antes disso, Ele ordena ao homem, o mesmo que ordenou a todas as criaturas de alma vivente (que SE MULTIPLIQUEM, E ENCHAM A TERRA), mas apenas ao homem foi dada a autoridade de DOMINAR SOBRE AS OUTRAS CRIATURAS).

    CONCLUSÃO: A ordem de dominar sobre a terra NÃO foi dada apenas ao Homem (macho), NO SINGULAR, foi dada, também à mulher (fêmea).

    Tudo isso que estou mostrando é PROVA de que quando Deus disse, falou, propôs FAZER o homem (ser humano) à sua imagem e semelhança e dar a ele o domínio de toda a terra, ele estava SIM planejando FAZER também a sua adjutora, a MULHER também à sua imagem e semelhança para encher a terra, e dominar sobre ela e as criaturas nelas existentes.

    Creio que a maioria dos teóricos, pastores e pregadores estão aceitando a ideia errada. Não estou dizendo isso com presunção, ou soberba, mas com humildade, simplesmente porque isso é possível.

    Obs: Só pra constar, os verbos ENCHEI, DOMINAI e SUJEITAI (no imperativo) não estão no singular, mas no plural. Assim como o “IDE (imperativo – ordenança de Jesus aos seus discípulos) por todo mundo, e pregai o evangelho...”(Marcos 6.15). Ordens dadas ao coletivo.

    Fica na PAZ do SENHOR!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuando

      4º - Essa afirmação inicial sobre o sexto dia está correta e é comentada na parte 1 do artigo "estudando a origem do homem" e no estudo "os dias da criação".

      5º - Idem para os detalhes que você trouxe. A mulher também foi criada à imagem e semelhança... nunca neguei isso, por isso o texto diz MACHO E FÊMEA os criou. Não se esqueça que comentei que ela era meio que uma "copia" de Adão (e não é a toa que depois ele a chama de "ossos dos meus ossos e carne da minha carne" rsrs ). À mulher também foi dada a ordem de dominar a Terra e se multiplicar, até porque a ordem é dada no PLURAL, como você disse, e ocorre depois da menção de que ambos foram criados macho e fêmea. E isso faz sentido, pois Adão não era auto-replicante...rsrs... Mas a menção inicial do planejamento de Deus ocorre no singular. No entanto, não dá pra negar que de fato Adão não encontrava parceira e que Deus decidiu criá-la depois de Adão. Deus, pela sua Onisciencia, sabia de tudo já, como você disse, mas ele permitiu essa situação para nos ensinar que homem e mulher são uma só carne...

      Resumindo, concordo com o que você publicou aí e nada disso contradiz o que eu disse anteriormente. Bom, ao menos que eu tenha entendido tudo errado rsrsrs

      Excluir
  7. Mais alguns comentários que me esqueci de postar.

    Em relação as PLANTAS, elas são “seres vivos” (com células vivas), mas não são seres de ALMA VIVENTE, não há fôlego de vida nas plantas, por tanto não haveria predatismo se os animais e o homem comecem vegetais. Os vegetais (com células vivas e suas proteínas e minerais) foram criados para mantimento do homem e dos animais.
    Deus não deu ordem nenhuma as plantas, apenas mandou que a terra as produzissem, ervas que deveriam dar sementes segundo suas espécies. Deus não mandou que elas frutificassem, e multiplicassem, e enchessem a terra.

    Deus só deu ordem aos ANIMAIS DE ALMA VIVENTE, e ao HOMEM e a MULHER, também de ALMA VIVENTE.
    E não faria sentido ALMAS VIVENTES se alimentarem de matéria sem vida, como pedra, areia, barro, etc.

    Como disse anteriormente, tudo foi minunciosamente planejado e organizado por Deus.
    Tudo foi criado pensando em tudo que seria criado em seguida.
    Deus não decidiu que a erva do campo seria para mantimento do ser humano e dos animais somente depois que os criou, isso foi decidido antes, apenas a ordem foi dada depois.

    De fato, a bíblia relata que o homem viveu um determinado tempo sozinho no jardim do Éden, onde Deus o pôs para o lavrar e guardar, mas não na SOLIDÃO, triste, angustiado, como alguns pensam. Ele tinha DEUS, tem companhia melhor?
    Claro que, em se tratando da parte material, o homem realmente precisava de uma adjutora, mas já estava nos planos de Deus SIM! ABSOLUTAMENTE!

    Vou ser bem simples pra concluir, não tenha esse comentário como ‘desrespeitoso’, estou falando com sinceridade, sem chocarrice., mas tomo como base o clássico “SE”...

    “SE Deus formou o homem, com todas as suas particularidades, sendo uma delas, seu órgão genital, com a função de REPRODUZIR de forma SEXUADA (fazendo sexo), Deus certamente já planejou o sexo oposto, a MULHER.

    Em relação ao seu comentário sobre predatismo, e os animais fósseis encontrados da era anterior ao homem, ainda não tenho o conhecimento suficiente para responder, mas foi muito interessante. No entanto, não creio que houve predatismo na criação relatada em Gênesis. Estou pela fé!

    PAZ!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, sobre as plantas, sabia que você iria dizer isso. Em momento nenhum eu disse que Bíblia diz que as plantas seriam "nephesh". Mas são seres vivos, possuem sensibilidade, nascem e morrem. No entanto, se a gente se guiar pelo fato de que se a Bíblia não menciona, não é nephesh, então me pergunto se os insetos não são mencionados em Gênesis (porque o termo em hebraico para eles, "S heres", não aparece) então eles não seriam "alma vivente"... mas no final das contas, um inseto é um animal assim como o gato, o leão... Além disso, o texto não proíbe nenhum animal de comer carne... Bom, no artigo "o predatismo e o Gênesis" isso é explicado melhor, lá fala disso também.

      Em relação a questão do homem, digamos que já estava no coração de Deus isso - tanto é que ele criou o homem de forma sexuada - , admito, mas o que quis dizer é que biologicamente a princípio não haveria necessidade, em termos terrenos. Em termos espirituais é OBVIO que Deus já sabia.

      E em relação aos animais fósseis sugiro que pesquise bastante sobre. Primeiramente, morte física aconteceu no passado senão não teríamos depósitos fósseis. A morte veio para os humanos e é disso que a Bíblia fala, e quando fala-se da "morte que entrou pro mundo pelo pecado" no NT, diz respeito sumariamente á morte espiritual, embora no homem a morte física também teria vindo. Continuando, nós não temos evidência a, b ou c de predatismo, mas uma enchurrada...eisalgumas:
      - A lombriga Ottoia viveu há 550 milhões de anos no tempo da "explosão cambriana". O bicho fossilizou-se tão bem (devido a ausência parcial de bactérias necrófagas no local na época) que há conteúdo estomacal preservado nele - e trata-se de moluscos pré-históricos conhecidos como hiólitos;
      - Existem marcas de mordida (em ossos de suas respectivas presas) do Tyrannosaurus rex, do Allosaurus, do Dunkleosteus, de Dromaeossaurídeos, de Carcharodon megalodon, etc... todos animais que datam de 5 milhões de anos para trás.
      - Muitos animais extintos tiveram um plano corporal perfeito para caçar. O Microraptor tinha corpo aerodinâmico que lho permitia planar para capturar insetos; o Spinosaurus tinha corpo projetado para a pesca de peixes, o Allosaurus tinha a mandíbula projetada para se abrir e atuar como um "machado", o Gorgonóps (réptil extinto) tinha caninos diferenciados na mesma proporção que o dos cachorros, os raptores tinham garras no pé que rodavam num angulo de noventa graus para dilacerar a carne da vítima, etc... E todos são sistemas predatórios muito bem planejados, coisa que acho difícil resultar de maldição;
      - Por outro lado havia animais herbívoros preparados para defesa contra predadores, munidos de carapaça, espinhos e garras defensicas como o Iguanodon, Euoplocephalus, Leedisichthys, Ankylosaurus, Stegosaurus, Polacanthus, Elginia, Therizinosaurus, Scelidosaurus, Dacentrurus, Ouranosaurus, Triceratops, Styracosaurus, Torosaurus, Pentaceratops, Kosmoceratops, Nodosaurus, Sauropelta, Gastonia, Henodus, Pachycephalosaurus, Stygimoloch, Hylaeosaurus, Kentrosaurus, etc e etc... se não havia predadores por que esses animais desenvolveram defesas naturais?
      - Existem casos de animais que foram fossilizados "de repente" e se conservaram com conteúdo estomacal (como o Ichthyosaurus, Baryonyx e o Coelophysis), atacando algum outro bicho (como é o caso do Velociraptor e de um fóssil de Ramphorhynchus) ou algo assim.

      Entendo que tem coisas que se aceita pela fé, mas devemos ter uma fé racional. Minha sugestão é que pesquise mais sobre o assunto e leia o artigo "o predatismo e o Gênesis", ok?

      Fica na paz!!

      Excluir
  8. Grato pelo comentário, muito instrutivo. Mas não vejo porque os insetos não seriam animais de alma vivente.

    Mas, antes de comentar sobre isso, gostaria que você me explicasse como ocorreu a evolução e propagação das espécies, a partir do ancestral comum do homem (como assim explica a evolução) sem a existência de uma fêmea. Tudo isso, frente a uma seleção natural devastadora. Eu acho IMPOSSÍVEL, acredito que ciência também. Então como foi isso?
    Se você concorda com a evolução, ela diz que os mamíferos se reproduziam (com suas fêmeas), e as modificações genéticas (genotípicas e fenotípicas) foram ocorrendo ao longo dos milhares de anos, e tal, e tal...

    --SOBRE OS ANIMAIS E PLANTAS

    -Veja só como eu entendi o texto e o contexto:

    Tanto na criação da ERVA VERDE (vegetação) quanto na criação dos Animais da Terra (porção seca), Deus ordena que A TERRA OS PRODUZA.

    No entanto, tudo em que há fôlego de vida, Deus o chama de ALMA VIVENTE (Animais e homem).

    Na criação da vegetação Deus apenas diz: PRODUZA A TERRA ERVA VERDE, QUE DÊ SEMENETE, ÁRVORE FRUTÍFERA QUE DÊ FRUTO, SEGUNDO SUA ESPÉCIE, CUJA SEMENTE ESTÁ NELA SOBRE A TERRA, E ASSIM FOI”.

    Na criação dos Animais Deus diz: PRODUZA A TERRA “ALMA VIVENTE” CONFORME SUA ESPÉCIE, GADO, RÉPTEIS E FERAS DA TERRA...” sem seguida ordena que “FRUTIFIQUEM, E MULTIPLIQUEM-SE E ENCHAM A TERRA”.

    A diferença entre VEGETAÇÃO e ALMA VIVENTE existe desde o princípio até hoje.
    Hoje, como no princípio da criação, a terra ainda PRODUZ, faz brotar ERVA VERDE, que dão sementes, conforme suas espécies.
    Mas com as ALMAS VIVENTES é totalmente diferente, foram criados com propósitos diferentes, não tem o mesmo fôlego (nesse caso, as plantas não tem ‘fôlego de vida’, não são alma vivente).

    Com os Animais de ALMA VIVENTE é diferente, eles tem filhotes (filhotes esses que não vieram do pó, como no princípio foi, mas que se tornarão pó, assim como os que do pó foram criados), a terra não os produz mais, foi só uma vez. Eles agora são fecundos e se multiplicam por si só, pois assim Deus lhes ORDENOU DIRETAMENTE.

    -Com as plantas Deus não procede da mesma forma, ele dá uma ORDEM DIRETA para que a TERRA produza a erva que dê a semente conforme sua espécie. Ele poderia muito bem ordenar a planta que frutificasse e multiplicasse, e enchesse a terra, e desse sua semente, mas não foi assim, ele ordenou a terra que produzisse a planta como ela deveria ser, com fruto e semente e tudo.
    -A vegetação foi criada para mantimento dos animais e do homem. É isso que está escrito, o fato de Deus não ter proibido comer carne, não significa que ele tenha permitido. O que Ele ORDENOU, e que ASSIM FOI, foi a erva verde para mantimento do homem e animais.

    As sementes caem na terra e a terra faz brotar outra planta, segundo sua espécie. São vivas, com células e tecidos organizados, quimicamente ativas, mas não são alma vivente, não tem fôlego de vida como os animais.

    Dizer que uma planta morreu, não significa dizer que acabou o seu fôlego de vida. Um animal sim, como o homem também, pois, tem o mesmo fôlego. Viver apenas de alimentos vegetarianos é totalmente possível, tanto que, assim alguns fazem, e foi assim que o homem e os animais viveram antes do pecado atingir a terra através de Adão.

    Continua...

    ResponderExcluir
  9. Continuação...

    --QUANTO AOS INSETOS

    Ora, muitas outras espécies não são citadas, não quer dizer que não são almas viventes. Quando Deus ordena que a Terra Produza animais de alma vivente, entendo que nesse animais estão inclusos os de grande, médio e pequeno porte (Bestas-feras, gado, até mesmo os insetos, que não são citados). Esses sim são alma vivente, mas as plantas, creio eu que não. São apenas células vivas, que por reações químicas são muito bem organizadas, mas sem alma, sem fôlego de vida. Apenas reações químicas, que as tornam sensíveis ao meio. Acredito que os termos NASCER e MORRER, só se aplicam às plantas por que as células dela são 'vivas' e não de alma vivente. É um termo usado por conversão, já que “tudo que é vivo morre”.




    Exemplos práticos que diferem “células vivas” de “alma vivente” (Plantas de Animais)

    1-É possível separar células vivas de um corpo de alma vivente ok? Se espermatozoides de um homem (alma vivente) são conservados em laboratório, para ser utilizado futuramente, essas células continuarão vivas, mesmo que o homem (alma vivente) morra, ou perca seu fôlego de vida (dá no mesmo), e aí, o homem morreu, ou seu fôlego de vida ainda está na célula preservada em laboratório?

    2-Se um homem ou animal for CLONADO, e nascer um indivíduo “idêntico”, com carga genética parecida, o CLONE teria o mesmo fôlego de vida certo? Mas seria a mesma pessoa, óbvio que não. Seria outro indivíduo, diferente, com um espírito diferente do primeiro. Espírito esse que voltará para Deus que o deu.

    3-Se eu cortar galhos de uma planta, e plantar mudas, nascerá outra planta ok? Mas que identidade teria essa planta nova? NENHUMA. Ela teria um fôlego de vida? CREIO QUE NÃO, as células vivas tiradas da planta anterior se multiplicariam de forma semelhante a da outra, se em condições iguais, seriam a mesma planta crescendo em local diferente. Não há fôlego de vida nelas, há apenas células vivas que se multiplicaram, porque a elas foi atribuída essa função.

    Acredito que o fôlego de vida é dado por Deus a cada homem e animais no momento da sua concepção, a partir daí, já é uma nova vida, um novo ser, com fôlego de vida próprio, por Deus. Antes disso, espermatozóide e óvulo, são apenas células vivas de um corpo que contem fôlego de vida.

    Essa é a diferença que compreendo das plantas (células vivas) e dos animais e homem (alma vivente, com o fôlego de vida dado por Deus).
    --Almas Viventes possuem em sua constituição, células vivas que formam tecidos com funções específicas, etc.
    --Mas as células vivas que formam os tecidos, e funções específicas das plantas não as constituem Alma Vivente.

    Espero ter contribuído.

    PAZ do Senhor!

    ResponderExcluir
  10. (Gênesis 1.26, 27 e 28)

    Existe um DETALHE muito importante no seu comentário que deve ser observado.

    Nos comentários anteriores, e até no seu artigo, você falou que Deus não PLANEJAVA, a princípio, fazer a mulher, e eu refutei essa ideia com minha explicação detalhada dos versículos citados, com a qual você concordou. Diferente do que você comentou, ela contradiz sim o que você falou antes (de Deus não ter PLANEJADO, a princípio, criar a mulher).

    Mas agora foi diferente, você utilizou a palavra CORRETA para o seu argumento, mas acredito que ainda está pensando da mesma forma.

    Deus, de fato DECIDIU criar a MULHER tempos depois de criar o homem. Você disse bem, Ele “DECIDIU” que é totalmente diferente de “PLANEJAR”.

    É disso que se trata Gênesis 1.26, do PLANO de Deus para criação do homem, que como frisei bem, a palavra homem nesse caso também pode ser traduzida por ‘HUMANIDADE’, ‘SER HUMANO’, ‘RAÇA HUMANA’ (aqui, Deus está generalizando os gêneros humanos, da humanidade, da raça humana e não apenas o sexo masculino), apesar de não citar macho e fêmea, ele executa seu plano no ato da criação, criando macho e fêmea (v. 27)

    Como você falou: Deus faz menção de dar ordem, a princípio, no singular, mas depois dá a ordem no plural, porque? Teria Deus planejado uma coisa, e feito outra? NÃO!
    Simplesmente pelo que já expliquei no parágrafo anterior: por causa da tradução da palavra HOMEM (que pode significar: HUMANIDADE, SER HUMANO, RAÇA HUMANA), Deus mencionou no singular, mas não está se referindo ao MACHO apenas, e sim ao SER HUMANO (englobando ambos os sexos) o que dá impressão de singular.

    Outro prova importante que em (Gênesis 1.26, 27 e 28) Deus está se referindo ao ser humano (amos os sexos):
    (v. 26) Deus MENCIONA criar o HOMEM (ser humano) à sua imagem e semelhança, referindo-se ao homem e a mulher.
    (v. 27) Ele executa o que ele havia MENCIONADO. Realmente, Criou o HOMEM à sua imagem e semelha (macho e fêmea).
    (v.28) Ele dá a ordem ao HOMEM, que mencionou criar (referindo-se ao SER HUMANO, RAÇA HUMANA, HUMANIDADE) que domine sobre a terra, assim como havia mencionado no (v. 26).

    HUMANIDADE é uma palavra no singular, mas que expressa uma referência a HOMEM e a MULHER. Isso é amplamente utilizado na bíblia. Outro exemplo: “Todo o Animal do campo” não faz menção apenas a uma espécie (ex. todos os bois, ou todas as vacas), e sim a todos os animais do campo. Uma menção no singular, mas engloba a pluralidade das espécies do campo.

    Deus é perfeito, tudo realmente estava em seus planos nos mínimos detalhes desde o princípio, como propus no exemplo da sexualidade do homem, que foi minuciosamente planejado e criado pensando na sexualidade da mulher, que Deus só DECIDIU criar tempos depois, mas que planejou desde o começo.

    -PLANEJAMENTO: Homem, ser humano, humanidade, raça humana (os dois gêneros)
    -EXECUÇÃO: primeiro o HOMEM, tempos depois, a “DECISÃO” (E NÃO PLANEJAMENTO) de criar a MULHER.]

    Foi isso que o Espírito Santo me fez entender do texto. Eu Creio, mesmo que a maioria esmagadora aceite outra ideia.

    Fica na PAZ!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Issacar, boa tarde! Como estamos já fazendo, farei o comentário aos poucos.
      Antes de iniciar a resposta, já adianto que eu creio, sim, que os insetos são alma vivente no sentido bíblico, e da mesma forma que sei sim que as plantas não são chamadas de "almas viventes" no texto bíblico. Novamente eu não disse em momento nenhum que as plantas eram "nephesh" nem que os insetos não eram. Aliás, também quero alertar pelo último comentário, onde você disse "o Espírito Santo me revelou"... Olha, cuidado com essa afirmação porque nesse caso em específico o teor da discussão é mais teológico e técnico que espiritual. Não vamos misturar as coisas pois a Revelação da Palavra, de Cristo, temos e é igualitária e clara, e é isso que liberta e salva. Sobre predatismo antes do pecado ou se Deus planejava ou não criar Eva após Adão são temas secundários em torno da parte histórica bíblica, não é algo do tipo "tenho fé que", mas algo mais técnico e por isso demanda estudo aprofundado, porém não é relevante para a fé do Cristão. Fosse assim, a Bíblia deixaria claro a ausência de predatismo pré-queda, e ela não deixa. O criacionimo da terra jovem admite-o por inferência do texto, por interpretação.
      Mas sobre a evolução, eu já tratei isso exaustivamente em vários artigos desse blog, mas respondendo mais uma vez e sintetizado: a evolução (na verdade entenda aí não no "sentido darwiniano" mas no sentido de Deus criando e agindo através de um processo de transformação interespécies) aconteceu com machos e fêmeas, contudo, em algum momento Deus permitira que após sucessivas transformações aparecesse em cena o primeiro ser com todas as características humanas básicas, pois havemos de concordar que é difícil alterações genéticas iguaizinhas acontecerem ao mesmo tempo em vários indivíduos, fora a questão dos saltos evolutivos, que ainda são debatidos pela ciência, já que "creem" que mutações aleatórias deu origem aos seres vivos. Esse primeiro ser, naturalmente, deveria encontrar uma fêmea do tipo genético mais próximo (igualzinha não encontraria já que alguma coisa diferente ele já teria em seu DNA)... mas pela vontade de Deus ele soprou seu Espírito (Rhuah) nesse primeiro humano e o dotou de uma nova anatomia, que era de fato á imagem e semelhança de Deus. Dado essa nova configuração, basicamente além de pelas leis biológicas ele não ter necessidade de se reproduzir pra manter o legado (já que viveria para sempre), ele não encontrara uma "fêmea", uma parceira, que fosse á imagem e semelhança de Deus também. Daí então Deus fez Eva. E abrindo um parênteses nisso tudo, não sei se você deve ter percebido mas ao meu ver não houve mutações aleatórias, cada mutação foi ordenada intencionalmente por Deus porque Ele já sabia o que estava para criar desde o princípio.

      (CONTINUA)

      Excluir
    2. SOBRE OS ANIMAIS E PLANTAS
      A parte do contexto basicamente está ok, porque como eu disse, em termos bíblicos as plantas não são "nephesh"... mas isso só em termos bíblicos. Não há diferença entre as plantas e animais no sentido biológico. Eles possuem sistemas diferentes mas são seres vivos, que tem sensibilidade, sentem dor, sofrem , passam momentos bons e ruins, e os termos nascer e morrer se aplicam as plantas não só na biologia mas na Bíblia como um todo também. Hã... mas onde que consigo provar isso? No Gênesis? Na verdade não necessariamente no Gênesis, mas em outras passagens da Bíblia mesmo, como no livro de Jonas, onde é dito claramente que uma aboboreira cresce e MORRE. Então morte também é válido para as plantas. Aliás, sobre o sentido biologico, peço perdão mas tenho que dizer que as plantas respiram SIM, se ALIMENTAM por fotossíntese, e também tem um tempo de vida. Essa história de cortar um galho e a planta crescer de novo não é bem assim, depende muito dessa espécie, aliás, por essa lógica, então nem todos os animais são nephesh, já que alguns podem se regenerar de forma espantosa mesmo sentido mutilados de forma mortal. Um exemplo é uma espécie de salamandra que, mesmo tendo a cabeça decepada, consegue fazer com que outra cresça no lugar. A mesma coisa acontece com vários tipos de vermes e cnidários, ou esses vermes e essa salamandra não seriam nephesh? rsrs E sobre o clone, você não pode dizer que uma criatura clonada não tem vida porque não carrega consigo a definição nephesh, pois mesmo seres clonados nascem, vivem, respiram, comem, tem sentimentos e morrem.
      E quando falo da questão "morte" estou dizendo em relação ao sentido geral, porque segundo essa doutrina da morte animal ter se iniciado pelo pecado, a morte física é tratada como algo ruim no sentido geral. Aí você pode dizer: "hein? está dizendo que a morte é boa"? Não exatamente... o que quero dizer é que pra nós, humanos, em nosso padrão, morte é uma coisa ruim. Deixar de existir no mundo físico é algo ruim, para os humanos. Creio que Deus não permitiu que o ser humano sofresse a morte porque sabia que para o ser humano a morte não é algo bom, e isso faz sentido, já que o ser humano é racional e tem consciência de si próprio, e nem todos os animais possuem consciência de si próprio, de modo que a morte não tem o mesmo "efeito" nos animais. Novamente, temos que ter cuidado com o termo "morte" na Bíblia pois nem sempre se refere a morte física. Para tal, temos que analisar o texto e contexto...

      (CONTINUA)

      Excluir
    3. Então, com isso, podemos dizer que, sim, plantas são seres vivos e não apenas um amontoado de células vivas.
      Sobre a questão de Adão e Eva, talvez eu tenha colocado mal os termos mesmo. O que eu quis dizer é que, da mesma forma que se Adão e Eva não tivessem pecado estaríamos num paraíso terrestre até hoje (lembremos que a extinção das espécies só acelerou desde que o homem surgiu na Terra, o que nos faz entender o sentido de "a criação geme" na Bíblia), Deus não precisaria criar uma parceira para Adão em termos biológicos porque ele já existia por si. Deus criou casais de espécies para que pudessem se perpetuar no planeta, e uma vez que Deus colocou o "Rhuah" em Adão - que o tornou, dentre outras coisas, imortal - não precisaria de uma parceira para se perpetuar. Mas em seu coração Deus não só sabia que haveria de criar Eva depois de Adão, como Deus também sabia que Adão iria pecar e que Jesus morreria na cruz pelos seus pecados. De fato, acho que nao fui feliz em usar o termo "planejado" e vou consertar isso no blog, colocando um termo mais adequado que expresse o que de fato quis dizer. Então, me resta agradecer a você a respeito disso!
      E ainda sobre a ausência de animais carnívoros antes da queda, só coloco duas coisas:
      - Mais uma vez digo que o texto não proíbe o consumo de carne em Gênesis, aliás, se olharmos na cadeia alimentar todo carnívoro necessita de erva verde pra sobreviver, afinal é a base de alimento de sua "presa"
      - Você não me respondeu sobre a questão da evidência fóssil antes da queda e do tratamento do predatismo e morte biológica como "maldição", como o criacionismo trata, ante as evidências de um planejamento meticuloso tanto em relação a sustentação da vida pela seleção natural quanto em relação ao design dos animais predadores (até porque Deus não se guia pelos nossos padrões do que é bonitinho e do que é horrível no reino animal...)
      Espero ter colaborado.
      Fique na paz de Cristo!

      Excluir
    4. Olá... Olha só, nem cheguei a ler o comentário todo, pq só dei uma passada rápida pra ver, mas tirei esse tempo curto que tenho pra esclarecer uma coisa:
      EU NÃO DISSE QUE O ESPÍRITO SANTO ME 'REVELOU' nada... apenas que, com a ajuda do ESPÍRITO SANTO, foi daquela forma que entendi o contexto referente a (Gênesis 1.26, 27 e 28), que na minha opnião, está muito claro. Mas, como a Palavra é de Deus, é Ele que nos orienta através do seu Santo Espírito para que possamos entendê-la.

      Você não entendeu o que quis falar. Usou até outra palavra quando fez menção do que falei (REVELOU). Eu não escrevi Revelou... eu escrevi que o Espírito me fez entender assim, pq é assim que é.
      O texto já está claro, e revelado, não há nada oculto, como há em outros textos bíblicos. O que há para interpretar no texto de Gênesis 1.26, 27 e 28 é o contexto.

      entendeu o que quis dizer?

      Grato...

      fica na PAZ!

      Excluir
  11. mais uma coisa... a palavra hebraica para Fôlego em Gênesis 2.7 não é Rhuah. a Palavra é NISHËMAT (traduzia por "Alma", "Respiração").

    Depois respondo o resto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Issacar, desculpe então meu entendimento errado do que você quis dizer; Sobre as palavras em hebraico, rhuah é usado diversas vezes np antigo testamento para se referir a folego de vida, mas de fato, você tem razão ao dizer que em Gênesis 2:7 o termo é "neshamah", que segundo o talmud e a tradição judaica tem o significado melhor traduzido por "alma". Isso é tratado detalhadamente aqui: http://genesisum.blogspot.com.br/2011/02/estudando-origem-do-homem-parte-1.html

      Excluir
    2. Só para informação - ou melhor, pra deixar claro que o que escrevo aqui não é "interpretação particular" ou "eu acho que" - muitos dos argumentos referente a predatismo antes da queda, alma e evolução são na verdade de teólogos como William Lane Craig e Hugh Ross.

      Fique na paz!!

      Excluir
  12. E ainda criticam a teoria do intervalo quando se tenta fazer a mesma coisa, redefinir os conceitos simples do Gênesis para tentar encaixar uma pseudo teoria. Eu me pergunto se Moisés estava pensando em evolução quando escreveu o GÊNESIS, imaginando homens descendendo de seres parecido com macacos. Dificilmente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus revelou a Moisés de onde criou o homem mas não detalhou o processo com o qual o homem foi feito, então, não há como dizer que Moisés imaginara as transições evolutivas, simplesmente porque Deus não lho revelou a maneira com o qual modelou os homens e os animais. A teoria da evolução - quando entendida corretamente - entra exatamente aí. Sugiro que leia os outros artigos desse blog.

      Excluir
  13. Meus amigos, eu gostaria de sanar uma coisa na mente de vcs com a minha resposta, q pode encerrar essa discussão. Os dois tem dúvidas e questionamentos pertinentes. Eu mesmo sou criacionista estrito e creio no relato literal da criação bíblica, não na macroevolução como o irmão Rodrigo propôs (em coerência com o método interpretativo do livro do gênesis, literal obviamente). Mas, há uma questão interessante q me deixava em dúvida: eu cria q antes do pecado, o mundo era perfeito. Não havia morte, nem fome, nem predatorismo animal, por conseguinte. Mas como existem animais feitos para matar??? Porque a natureza possui ciclos de nascimento, morte e decomposição, como se já tivesse vivido isso muitos anos? Porque os animais de fato se adaptam e nascem novas espécies?? Após o pecado, foram transformados em um passe de mágica?

    Mas, o Pr. Ivan Saraiva (juntamente com o Espírito Santo, é claro) me mostraram a realidade dessa questão. O mundo não era perfeito antes do pecado!!! Nosso Deus, em sua onisciência temporal, já sabia q um dia sua criação, dotada de livre arbítrio, pecaria contra Ele. Alguém um dia exerceria seu livre arbítrio. Primeiro foram os anjos, depois fomos nós… mas Ele já sabia!!! O plano da Redenção de Cristo para salvar a criação já estava preparado antes da própria criação! Por isso em Apocalipse 13:8 encontramos: “o Cordeiro q foi morto desde a fundação do mundo”.
    Sem sombra de dúvida e inspirado por Deus, creio q apenas o jardim do Eden era perfeito, onde o homem habitava. Porque o mundo inteiro não era como o Eden??? Porque o homem sai do Eden e de repente tem de plantar sua comida, ve a morte, oferece sacrifícios, a mulher sente dores ao dar a luz… porque?? E como os animais carnívoros e etc já parecem ter passado por um complexo processo de evolução e adaptação anterior? Porque a natureza tem ciclos? Porque já existia um mundo imperfeito (ou seja, esse q habitamos agora) do lado de fora. Minha teoria é lógica e vai de encontro ao relato literal da criação. Deus criou o mundo em seis dias, do mesmo jeito, descansou ao Sábado, e viu q tudo era bom do mesmo jeito. Com q propósito esse Deus fez isso? Ele queria ver o homem sofrer?? Não! Porque Ele já sabia o fim desde o início, Ele é o Alfa e Ômega, e sabia da infeliz necessidade do homem ser condenado a viver longe de sua presença num mundo imperfeito. Isso explica nosso mundo como ele é. Deus mesmo criou os animais q conhecemos, mesmo os carnívoros.

    Ele queria fazer isso? Ele queria tanto quanto enviar seu único filho (em linguagem humana) pra morrer em nosso lugar. Não era aprazível, era necessário. Ele mesmo instituiu a regra “sem sacrifício de sangue, não há remissão de pecados” para q Ele, como Cristo, pudesse morrer em nosso lugar. Tudo, desde a criação, passando pelos sacrifícios do cordeiro maculado q Ele ordenara ao seu povo q impetrassem no passado, até a morte de Jesus na cruz, sua ressurreição e retorno final são partes do plano da Redenção. Inclusive essa Terra, ainda imperfeita, q será renovada, assim como nossos corpos e mentes, no Volta de nosso Salvador. Tudo faz parte do plano dEle. Esse não é nosso lar pra sempre… é tudo passageiro, como a vida dos animais (como discutido antes sobre morte e predatorismo), a nossa, o mundo, com ciclos e recursos naturais escassos. Deus, com esse plano, tapeou a morte com a própria morte, pois esse era o único jeito.

    Meu amigo Issacar, espero ter ajudado. Meu amigo Rodrigo, não se iluda com a palavra de teóricos ou teólogos, mas sinta o q a Bíblia quer te dizer. Peça ajuda sim, leia sim, mas peça a instrução do Santo Espírito. O relato de Gênesis da semana da criação é sim literal, meu irmão… o Sábado é literal e real… nosso Deus jamais se limitaria utilizar de um processo tão falho, em sua própria essencia, como a evolução para realizar suas obras. E pense: a evolução tem algo a ver com o plano da redenção?? não mesmo… pois então, não passa de mais uma façanha do inimigo. Estou disposto a responder quaisquer dúvidas…

    Abraços… a paz de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz, Alef!
      Bom, inicialmente tenho que tirar o chapéu para a sua argumentação a respeito do predatismo porque você conseguiu sintetizar a questão de uma maneira que eu não pude fazer, então sobre isso só tenho a dizer que estou de acordo e lhe dou meus parabéns. Não sei se nessa parte (do predatismo) ainda gerará mais discussão mas, ao meu ver, você colocou os pontos perfeitamente. E com referência bíblica.

      A única coisa que tenho que comentar é o último parágrafo. Agradeço muito a maneira gentil da sua parte, claro. Mas em primeiro lugar, eu nunca me iludi com teóricos ou teólogos, mas sim sempre procuro discernir tudo com a instrução do Espírito Santo, que é necessária. Tudo o que posto aqui é fruto de oração constante. Porém como eu disse anteriormente, uma coisa é a parte histórica e outra é a parte teológica. A compreensão dos dias de Gênesis entra mais para a interpretação histórica, mas tenho pedido orientação ao Espírito Santo (que trouxe a mim a mesma revelação a respeito do predatismo pré-queda que você expôs) e a semana é literal desde que consideremos os dias no tempo de Deus, fora que o sábado em Hebreus e em outras partes da Bíblia é mostrado como no tempo de Deus também, e esse é diferente do homem. Pode ser um segundo cada? Claro. Pode ser milhões de anos? Sim, porque Deus é atemporal. O processo evolutivo o qual me refiro nesse e outros textos não é aquele aleatório que ocorre sozinho, mas transformações realizadas pelo próprio Deus nas espécies, indo de espécies anteriores para posteriores. Esse é o "moldar a partir do pó" de Deus de Gênesis 2:7 e 2:19. A evolução tem algo a ver com o plano de redenção? Bom, se Ele - como você disse - já estabeleceu todo o plano de redenção antes da fundação do mundo e o processo de criação - os cientistas chamam de "evolução" e tentam entendê-lo (e até hoje não entendem plenamente) - culminou em todos os seres que hoje temos, incluindo o primeiro homem, é certo que sim, pois Deus formara o homem e os animais do pó já sabendo o que estava fazendo. Nada no processo criativo foi "chute", tudo foi premeditado, fazia parte do plano de Deus. Mas devo admitir que o pano de fundo ateísta que muitos colocam sobre a evolução, mostrando-a como um processo falho sem direcionamento, é sim uma façanha do inimigo e têm confundido muita gente. Só com discernimento da parte de Deus a verdade sobre esses assuntos pode vir a tona.

      Abraços, a paz de Cristo!

      Excluir
  14. Só um comentário adicional ao Issacar e ao Alef - principalmente para o Alef: Releiam o presente artigo (estudando o verbo Bara) e principalmente a conclusão, onde falo sobre interpretar as Escrituras com a ajuda do Espírito Santo... Graça e paz.

    ResponderExcluir
  15. Tenho o interesse de conhecer qual o texto bíblico fala da revelação que não é da mente .que não é da memoria e não pertence ao tempo ,não é interpretação do homem ,mas é pela via direta .quando Pedro revelou o Cristo de Deus . Existem outras passagens biblicas dessa revelação ?

    ResponderExcluir
  16. gente aconselho a todos lerem o livro Géneses 1 e 2 escrito por Adauto Lourenço, ele é teólogo e cientista, acredita fielmente nas palavras da bíblia, sem adicionar suposições como cada dia da criação durou mais de um dia. sita textos da ciência comprovando muitos coisas que a bíblia descreve. ainda não terminei de ler o livro mais até agora achei muito bom ao esclarecer certas suposições e duvidas.

    ResponderExcluir
  17. gente aconselho a todos lerem o livro Géneses 1 e 2 escrito por Adauto Lourenço, ele é teólogo e cientista, acredita fielmente nas palavras da bíblia, sem adicionar suposições como cada dia da criação durou mais de um dia. sita textos da ciência comprovando muitos coisas que a bíblia descreve. ainda não terminei de ler o livro mais até agora achei muito bom ao esclarecer certas suposições e duvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo Azevedo, esse blog traz contra-argumentações, com fundamento bíblico e cientifico, diretamente aos argumentos usados pelo físico Adauto Lourenço, que nada mais é que um divulgador brasileiro do Criacionismo da Terra Jovem. Comece pela sessão "por trás do criacionismo da Terra Jovem" e compare os argumentos do livro com o desse blog. Qualquer dúvida que tiver, fique a vontade para comentar que teremos o prazer de lhe auxiliar

      Que Deus te abençõe!

      Excluir
  18. Legal mesmo, só faltou relacionar a diferença entre o hebraico clássico e o hebraico arcaico pra tentar achar o provável termo usado para "criar" uma vez que Gênesis 1 já tenha sido escrito em um tipo de hebraico monarquico e provavelmente os termos tenham evoluído e os usos de substantivo e verbos para aquele momento da criação tenham sofrido um tipo de metamorfose pela etimologia popular, talvez ali em Gênesis ao invés de Bara tenha sido usado Qoné(‎קֹנֵ֖ה),pois há essa possibilidade! Muito boa a sua abordagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Weverton!
      Bem colocado, só não entramos mais a fundo nessa questão porque o artigo ficaria ainda maior rsrs
      Mas gostei de seu comentário, que fique até em evidência para permitir que as pessoas venham pesquisar mais a respeito se tiverem interesse!
      Fique na paz, e que Deus te abençõe!

      Excluir
  19. Olá! Gostei muito do debate de todos no que tange o criacionismo. Não vou ressuscitar o combate hermenêutico, mas só pra lembrar que focou-se apenas na visão judaica. Outros povos e civilizações também se debruçaram para descobrir a origem de tudo, inclusive os pré-socraticos. Mais uma vez, gostei de ler e reler algo prazerosamente, pois nota-se que todos estudaram e se dedicaram. Meus irmãos, sou católico, e vos dou meus parabéns com alegria. Sucesao a todos.

    ResponderExcluir
  20. Olá! Gostei muito do debate de todos no que tange o criacionismo. Não vou ressuscitar o combate hermenêutico, mas só pra lembrar que focou-se apenas na visão judaica. Outros povos e civilizações também se debruçaram para descobrir a origem de tudo, inclusive os pré-socraticos. Mais uma vez, gostei de ler e reler algo prazerosamente, pois nota-se que todos estudaram e se dedicaram. Meus irmãos, sou católico, e vos dou meus parabéns com alegria. Sucesao a todos.

    ResponderExcluir