Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Por Trás do Criacionismo da Terra Jovem 7: Quem é Lucy?




Quem é Lucy?

Essa pergunta não é feita á toa se considerarmos o Criacionismo da Terra Jovem... Isso porque esse achado tem sido uma "pedra no sapato" para aqueles que rejeitam a evolução biológica. "Lucy" é o apelido dado ao esqueleto mais completo até agora do primata fóssil cientificamente conhecido como Australopithecus afarensis. E esse primata é o foco da discussão, pois ele já deu muito o que falar, a ponto dos criacionistas apresentarem posições diferentes em torno do fóssil, porém com a mesma alegação: não tinha parentesco nenhum com o homem. Recentemente a tese criacionista quase chegou a um consenso sobre o que é a Lucy, no entanto as últimas descobertas - e alguns fatos simplesmente ignorados - deixam novamente o Criacionismo da Terra Jovem sem resposta.
E não é só isso: quando tratamos do tema Australopithecus no "universo criacionista", também entra no assunto algumas fraudes, porém essas fraudes não foram feitas á favor da evolução, mas sim á favor do criacionismo... Como assim? Vejamos esse (curioso) caso mais de perto, e também conheçamos quem é realmente a Lucy.


MUDANDO CONCEITOS

Conforme pode ser visto aqui, hominídeos anteriores ao primeiro homem não é uma coisa que coloca a Bíblia em descrédito. No entanto, conceitos como esse, uma vez comprovados definitivamente, podem colocar o Criacionismo da Terra Jovem em total descrédito. Isso quer dizer que a luta contra os fósseis transicionais não é exatamente em defesa da Bíblia, mas sim do Fundamentalismo Criacionista e da Teoria da Criação Especial. Por isso, por vezes parece que "vale tudo" para defender essa posição, mesmo quando as evidências apontam para o sentido oposto.

É mais ou menos esse o motivo do desentendimento que ocorreu e continua ocorrendo entre os criacionistas sobre a Lucy, ou melhor, o Australopitheus afarensis.
De acordo com os cientistas evolucionistas, o gênero Australopithecus é considerado um dos mais antigos hominídeos, tendo dado origem diretamente ao gênero Homo, ou seja, ele é considerado um fóssil de transição entre os primatas mais antigos e a nossa espécie, um "elo perdido", vulgarmente falando. Obviamente o criacionismo jamais poderia aceitar essa interpretação acerca dos fósseis do Australopithecus. Desde então, as opiniões sobre o que seria essa criatura para o criacionismo não deixaram de surgir. Inicialmente, é claro, os criacionistas da Terra Jovem possui um consenso a respeito da idade do fóssil: ele seria pré-diluviano, no entanto não teria mais de 6 mil anos de idade, ao contrário da data estipulada pela geocronologia, que é de 3 milhões de anos atrás. Mas o consenso limita-se á esse fato: a definição para o Australopithecus foi extremamente variada no decorrer da história do Criacionismo da Terra Jovem.


UM PUNHADO DE OSSOS


A descoberta dos esqueletos de Australopithecus afarensis, em 1974, criou muita polêmica a princípio, a começar pelo tamanho desproporcional entre o macho e a fêmea da espécie e também os próprios ossos, que apresentam literalmente uma mescla de características simiescas e humanas.

Mas só o fato da diferença entre as alturas entre o macho e a fêmea foi suficiente para se argumentar que os fósseis reunidos com esse nome podiam muito bem ser partes dispersas de vários animais. Estava armado o dilema, já que seria impossível discutir a evolução de uma criatura indefinida — sobre a qual nada se podia dizer de concreto, ou confiável. No entanto essa argumentação já caiu por terra apenas duas décadas depois do anúncio da descoberta do fóssil, pois comprovou-se que de fato os ossos eram do mesmo animal. Atualmente nenhum criacionista duvida disso.

Então, restou partir para o "plano B". E é aí que as fraudes se iniciam...






"TEM QUE SER UM CHIMPANZÉ!"


Uma vez comprovada a autenticidade desse primata, teria que existir alguma evidência que fizesse cair por terra a alegação de que a criatura era um hominídeo, como apontavam os evolucionistas. Foi aí que surgiu a tese de que o Australopithecus seria um tipo de chimpanzé e não um humanóide.

As tentativas de validar o fato foram feitas por dois cientistas: Solly Zuckerman e Charles Oxnard. O problema é que ao contrário do que os criacionistas ainda afirmam, os estudos realizados por esses cientistas não foram feitos corretamente.

Inicialmente, Solly Zuckerman tentou provar com estudos biométricos (com base em medições) que os australopithecus foram macacos, porém, seus estudos foram considerados obsoletos em 1950.

Já Charles Oxnard (1975), afirmou, baseado em suas análises multivariadas, que o Australopithecus não são mais intimamente relacionados, ou mais semelhante aos humanos do que os macacos modernos. O cientista Howell (1978), no entanto, criticou esta conclusão por uma série de motivos, dentre os quais:

- Os resultados obtidos por Oxnard foram baseados em medições de alguns ossos do esqueleto, que eram normalmente fragmentadas e muitas vezes mal conservados.


- As medições não descrevem a forma complexa de alguns ossos, e não distinguem entre os aspectos que são importantes para a compreensão de locomoção do fóssil.


Como se isso não bastasse, há "uma enorme quantidade de evidências", baseado na obra de cerca de 30 cientistas, o que contraria o trabalho de Oxnard. Estes estudos utilizaram uma variedade de técnicas, incluindo aqueles utilizados por Oxnard, e foram baseados em muitas diferentes partes do corpo do fóssil. Eles indicam que a esmagadora maioria dos Australopithecus se assemelham a seres humanos de forma mais estreita do que os chimpanzés.

Agora, o pior não é isso: o fato é que a "Lucy" foi descoberta DEPOIS dos estudos de Oxnard!!

É certo que, se tais estudos não foram bem feitos, a culpa não é do criacionismo. O problema é que os criacionistas ainda mencionam tais estudos como fieldignos, o que não são, e os atribuem como sendo sobre a "Lucy", o que também é mentira. Mas poderia haver alguma farsa criada pelos próprios criacionistas em favor da tese sobre os Australopithecus serem chimpanzés?


A ANATOMIA NÃO MENTE, PORÉM HÁ QUEM MINTA


É muito comum ouvirmos ou lermos a afirmação dos criacionistas que o Australopithecus não tinha nada de humano. Para isso são usados diversos argumentos. Ou até farsas...

Uma fraude quase nunca mencionada que foi feita em favor do criacionismo é de autoria da Sociedade Torre de Vigia, ou seja, das Testemunhas de Jeová (embora eles sejam indúbitavelmente criacionistas da Terra Antiga, usam também de argumentos contra a evolução biológica). Trata-se de um conjunto de gravuras apresentadas no capítulo sete do livro "A vida - qual sua origem: Criação ou Evolução?". Na página 94, vemos a representação de três crânios justapostos - identificados como pertencendo a um homem moderno, a um chimpanzé e a um Australopithecus. A gravura visa a produzir no leitor a impressão de que o fóssil guarda relação estreita com o chimpanzé e não com o ser humano, justamente como o criacionismo quer que seja. Mas a que critério levaria a esta conclusão? Para os escritores da Sociedade Torre de Vigia, uma comparação morfológica dos crânios pareceu fazer sentido . Eis a figura:












O autor do livro salienta que as características do Australopithecus (à esquerda) eram "sobrepujantemente simiescas". Na forma como os crânios são colocados acima, um ao lado do outro, realmente é forte a impressão causada no leitor de que o fóssil tem parentesco com o chimpanzé (ao centro), dificilmente tendo alguma vinculação com o ser humano atual (à direita). Todavia, a gravura acima apresenta uma peculiaridade que facilmente escapa aos olhos do leigo... Observe a gravura abaixo, extraída do livro antecessor ao vigente (Veio o Homem a Existir por Evolução ou Criação?), na pág. 85:






















Parece-lhe familiar a representação acima? Na verdade, trata-se essencialmente da mesma figura publicada no livro antecessor. O layout gráfico foi melhorado, mas a figura é indiscutivelmente a mesma. Observe o crânio no alto, à esquerda - identificado como "macaco extinto" e compare-o ao da gravura anterior, identificado como "crânio de chimpanzé". A semelhança não é coincidência: os crânios são idênticos. Neste caso, podemos nos perguntar: afinal, o crânio é de um chimpanzé ou de um macaco extinto? Bem, há duas possibilidades: ou autor não conhecia o aspecto de um crânio de chimpanzé ou apoiou-se na ignorância do leitor, o qual dificilmente perceberia a alteração na identificação... Na verdade, o crânio em questão não é de um chimpanzé. Aí está a fraude.

Mas, que interesse teriam os editores do livro em adulterar o texto? Sobre isso pode-se apenas conjecturar... Contudo, tem-se uma hipótese: a exposição de um genuíno crânio de chimpanzé poderia levar a dificuldades... Vejamos: os chimpanzés possuem grandes caninos, os Australopithecus, não. Pode parecer um insignificante detalhe, porém a arcada dentária dos Australopithecus - notavelmente semelhante à dentição humana - é um dos aspectos anatômicos que os coloca como candidatos a membros na linhagem de seres que conduziram ao homem. Comparemos agora um verdadeiro crânio de chimpanzé com os outros dois, conforme a figura abaixo:












Será que o Australopithecus é um chimpanzé?

Apesar disso, isso não é o suficiente para derribar de uma vez a tese de que o Australopithecus tem de ser classificado como um chimpanzé. Uma alegação apresentada nesse link, por exemplo, afirma que o Australopithecus era um chimpanzé porque andava encurvado e possuía hábitos arborícolas. No entanto, para ser verdade de que ele andava encurvado ele teria que ter o quadril adaptado para tal, ou seja, igual ao dos símios e diferente da do homem. Mas será que isso acontece?

Em primeiro lugar, deve-se ter em mente que ocorre por parte dos criacionistas uma generalização a respeito do que seria o Australopithecus, como se todas as espécies de Australopithecus fossem iguais. Observe:

- O Australopithecus africanus tinha uma feição mais puxada para o gênero Homo.

- O Australopithecus robustus, hoje reclassificado como Paranthropus robustus, tinha algumas semelhanças entre o gênero homo, mas era bem mais robusto.

- O Australopithecus afarensis, a espécie de Lucy, possuía uma mescla perfeita entre antropóides e hominídeos

- O Australopithecus ramidus, por outro lado, era realmente mais simiesco. Esse sim era arborícola.

Tendo tantas características diferentes, é muito precipitado afirmar que o Australopithecus é um chimpanzé, já que existem variações notáveis entre as espécies.

Mas mesmo assim, vamos considerar uma afirmação daquele site criacionista, a de que o Australopithecus andava arcado.
Uma imagem vale mais que mil palavras. À direira, o Australopithecus afarensis; à esquerda, o Chimpanzé (Pan troglodytes):
























Na imagem abaixo, podemos ver a real postura do Australopithecus e a do Cimpanzé, contrária a afirmação sem base lançada pelos criacionistas fundamentalistas:





















Ademais, o Australopithecus era tão diferente do chimpanzé que um site criacionista acabou fazendo uma estranha menção a respeito dos fósseis da Lucy:

"Outros exemplos de Australopithecus, os achados na África do Sul (Australopitecus Afarensis), tidos como exemplo de macacos sul-africanos, (onde se enquadra o famoso fóssil de Lucy), por terem uma cultura humana ainda muito primitiva, foram reclassificados como sendo pigmeus."
(Fonte da alegação)

Pigmeu?? Ora, se o criacionismo classifica o Australopithecus como chimpanzé, por que vemos a alegação de que ele era um pigmeu?? Como podemos ver nas imagens acima, o seu crânio tem traços de pertencer á mesma família do Homo sapiens, mas de forma alguma era de Homo sapiens...

Tudo isso significa que encaixar o Australopithecus como sendo chimpanzé é um erro.

É UM HOMINÍDEO OU NÃO É?

Em vista a todas essas informações, a ação mais recente dos criacionistas é a de classificar os Australopithecus como um grupo á parte de símios, os Australopitecídeos. Essa ação leva em conta que o Australopithecus não era chimpanzé, mas também não era um hominídeo.

Para tal argumento ser derribado, bastava termos evidencias anatomicas de que o Australopithecus possui características que o classificam na família dos Hominídeos.

Bom, o que acontece se compararmos a bacia e as pernas do Homem com a do Australopithecus e do Chimpanzé? Quais se parecem mais?








































Atente também para os pés do Chimpanzé, adaptados para a vida arborícola, e os do Australopithecus, que são mais semelhantes ao do homem. Isso também rebate, por tabela o argumento criacionista de que o Australopithecus era arborícola.

E que tal analisarmos as maxilas?















A maxila do canto esquerdo é a do Chimpanzé, a do meio é do nosso amigo Australopithecus e a do canto direito é a de um Homem.

Uma característica que colocaria o Australopithecus como Hominídeo seria a postura. Sabemos que os símios não andam eretos mas bastante encurvados; se o Australopithecus andou com uma postura próxima a do Homo sapiens teríamos mais uma contra-evidência para o argumento criacionista.

Vejamos? para analisarmos isso basta compararmos a posição do orifício chamado "foramen magno", de onde "nasce" a coluna vertebral. A do ser humano se encontra na base do crânio, o que permite que ele ande ereto. Observe o foramen magno do ser humano:














Agora, abaixo podemos ver o foramen magnum do crânio de quatro primatas: Australopithecus, Cimpanzé, Gorila e Orangotango:






















Qual se parece mais com o foramen magnum do Homo sapiens? Obviamente que é o crânio laranja. E o crânio laranja é de qual primata? Resposta: Australopithecus afarensis. Note que o foramen magno não está tão embaixo, mas isso é porque ele possuía uma curvatura "leve" na espinha. De acordo com os fósseis o andar ereto total foi a partir do Homo ergaster. Mas isso não é relevante: o que conclui-se é que a posição da espinha e o seu formato (veja que o foramen magno do Australopithecus é grande como o do Homo sapiens) eram mais próximas a do Homem que dos demais primatas, o que permitiria ao Australopithecus caminhar praticamente ereto.

Outra evidência que colocaria o Australopithecus como sendo hominídeo seria o pé. Isso mesmo, o pé. É que o pé do ser humano é único, prontamente adaptado á caminhada em terra, e totalmente inapto á escalada em árvores, ao contrário do dos demais símios. Se existissem evidências de similaridades entre o pé do Australopithecus e do Homem, a questão estaria finalizada e teríamos realmente o Australopithecus como pertencente á família dos hominídeos... Mas como analisar, por exemplo, a planta do pé de uma criatura fóssil?


DA CABEÇA AOS PÉS


Laetoli é um local na Tanzânia á 40 km a sul do desfiladeiro de Olduvai. Várias pesquisas relacionadas á evolução humana foram feitos nesse local. Em 1976 foram encontradas pegadas de animais e em 1977 foram encontradas pegadas que se dizem ter sido feitas por uma criatura que andava de pé, porém de uma maneira humana. No livro de Johanson e Edey "Lucy, the Beginnings of Mankind", White diz: "Não há dúvidas, ... São iguais a pegadas do homem atual. Se aparecesse uma na areia de uma praia californiana e perguntassem a um rapazinho de 4 anos, ele diria imediatamente que alguém tinha andado ali. Nem ele nem você conseguiriam distinguí-la de uma centena de outras pegadas na praia (p.250)." Num artigo publicado na Science white escreve: "As pegadas não erodidas tem um padrão morfológico idêntico ao existente no homem moderno..."

Na verdade, essas pegadas em tamanho eram pequenas, e foram feitas por dois indivíduos: um grande e o outro pequeno, e o tamanho das pegadas é exatamente do tamanho dos pés de Australopithecus afarensis macho e fêmea, respectivamente. Ainda por cima, a idade do substrato remete, exatamente, a época do Australopithecus afarensis. Por isso a maior parte dos cientistas conclui que essas pegadas foram feitas por essa espécie.

Mas a respeito desse argumento, os criacionistas rebatem afirmando que essas pegadas seriam de humanos modernos e não Australopithecus, justamente por apresentarem anatomia de uma pegada humana (lembre-se que os criacionistas não acreditam nos métodos de datação). Realmente, só por pegadas fica difícil de determinar quem as deixou. Poderia ser um Australopithecus, poderia não ser...

Mas eis que temos a prova definitiva...

Um osso fossilizado do arco do pé do Australopithecus afarensis foi encontrado na Etiópia, e ainda datado da mesma época das pegadas de Laetoli. A descoberta foi anunciada esse ano, ou seja, é recente. "Este quarto metatarso é o único conhecido do 'A. afarensis' e é uma peça chave da evolução remota da forma única com que os humanos caminham", disse William Kimbel, coautor do estudo na Universidade do Estado do Arizona.

O arco do pé serviria como alavanca para sair do chão no início de uma caminhada e para absorver o impacto quando o pé volta a pisar, sugerindo que o pé do Australopithecus era parecido com o nosso. Os símios, porém, têm a planta do pé mais plana, o pé é mais flexível e os dedos grandes que lhes permitem se agarrar às árvores, atributos que não estão presentes no Australopithecus afarensis. Em outras palavras, o pé do Australopithecus era igual ao nosso e produziria pegadas iguais á nossa, e sim, devem ter realmente produzido as pegadas de Laetoli.

CONCLUSÃO

Quem é Lucy?

Lucy era um hominídeo. Um dos mais antigos antepassados da espécie Humana (perto do final da formação do pó da terra até o primeiro humano, que receberia o Sopro Divino, se levarmos em conta Gênesis 2,7). E todas as inúmeras tentativas de negar a classificação do Australopithecus como hominídeo foram em vão.

E, novamente, com isso vemos mais uma série de mentiras ocultas no Criacionismo, e dessa vez está no meio até a tese criacionista das Testemunhas de Jeová que, embora seja "da Terra Antiga", rejeita a teoria da evolução da mesma forma que o Criacionismo da Terra Jovem.

Olhando para tudo isso, nos deparamos com uma situação ruim. As evidências de que existiram "homens-macacos" como o Australopithecus não é contrária à Bíblia, mas sim á Teoria da Criação Especial, que já foi discutida aqui. Ora, se as informações a respeito de determinado assunto não se encaixam com paradgmas pré-estabelecidos, como essa tese, o que é correto fazer? Distorcer a verdade par encaixá-la no paradgma, como os criacionistas tentaram fazer com a Lucy, ou aceitar a realidade dos fatos e abandonar o antigo paradgma, mas sem se distanciar da Palavra de Deus?...


Há algo a se pensar...


FONTE:




http://members.fortunecity.com/torredevigia/chimp.htm

http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20100410054609AADxpI9

http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090213085807AA4Bs5W

http://cve.acordem.com/menu/1/31031//
http://super.abril.com.br/cotidiano/australopithecus-afarensis-retrato-passado-441009.shtml

http://arqueologiabiblica13.blogspot.com/2010_02_01_archive.html


http://nspriscila.spaces.live.com/blog/cns!BC358A7111B369F1!813.entry?sa=476130923


http://adven.webnode.com.br/news/a-farsa-do-evolucionismo/


http://www.talkorigins.org/faqs/homs/a_piths.html

http://sociedadecriacionistapiauiense.blogspot.com/2009/05/como-montar-um-hominideo-parte-4.html


http://ceticismo.net/comportamento/tipicos-erros-criacionistas/parte-07-%E2%80%93-paleontologia-ii/

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u709707.shtml

38 comentários:

  1. Esse foi o pior sincretismo que eu já vi! --'
    Ve se decide o seu lado!
    És Cristão ou Ateu?
    Não seja tão covarde assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O importante é estar do lado da verdade da teoria da evolução e contra as mentiras criacionistas.

      Excluir
  2. Paz do Senhor

    Respeito é bom, em primeiro lugar. Todo mundo gosta (Fico imaginando que exemplo de cristão é esse que você dá, pela mensagem).

    É o seguinte: sou evangélico da Brasil Para Cristo, creio na totalidade e literalidade da Bíblia, mas a respeito das origens possuo uma teologia diferente da sua (você é criacionista da terra jovem , certo?). Graças á Deus não sou covarde e tenho minha concepção do assunto bem fundamentada (veja os outros artigos desse site).

    Eu tinha certeza que mais cedo ou mais tarde um "CTJ" ia aparecer aqui ofendendo tudo e todos, chamando gente de covarde, ateu, etc... porque é esse o testemunho que os CTJ dão. Quando percebem que a teologia apresenta divergência o que resta é partir pra ofensa.

    E a respeito do sincretismo, pois bem, antes de falar coisas como essa leia os outros artigos.

    Aliás, digo mais, já que vc falou isso quero que você refute tudo o que foi apresentado nesse artigo, por favor. Mas antes LEIA OS OUTROS ARTIGOS pra saber COMO CONSIGO UNIR CRIAÇÃO E EVOLUÇÃO.

    ResponderExcluir
  3. Aliás, deixo claro aqui que ninguém é obrigado a aceitar tudo o que é apresentado nesse site. Mas o respeito sim, é obrigatorio. Como eu costumo dizer, aceito criticas, pois por meio delas podemos enriquecer o conteúdo do site, desde que sejam construtivas, sem ofender. Quero ressaltar também que todos os estudos aqui apresentados são elaborados com extremo cuidado, alguns para serem concluídos demoraram um bom tempo, ou seja, não é algo feito de forma relapsa, mas sim fruto de estudos bem complexos do tema.

    Paz do Senhor para todos

    ResponderExcluir
  4. Genesis 1 - Acho que vc pode me dizer isso, afinal seu compromisso é com Deus e não com ideologias:



    Por que os criacionistas mentem tanto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece que eles estão presos, ou melhor, fissurados a uma teologia, e não conseguem de jeito nenhum separar a teologia das Escrituras. Eles também não sabem diferenciar cosmogonia ateista de teoria da evolução, não sabem bem o que é ciência e acham que a Bíblia TEM QUE SER um livro científico.

      Ademais, muitos cristãos se tornam criacionistas da Terra Jovem por serem "crentes avestruzes" - engolem tudo o que é oferecido a eles (e não questionam para ver se é verdade ou não). Por incrível que pareça, isso acontece com a maioria deles.

      Por isso eles acabam mentindo tanto, e ás vezes nem é intencional, por incrível que pareça! De onde eu tirei essas conclusões? Experiência que já tive pessoalmente com criacionistas da Terra Jovem... Eu os onheço muito bem. Espero ter respondido a pergunta.

      Fique na paz!

      Excluir
  5. Com todo respeito, ta falando merda. A maioria dos criacionista nem crêem na biblia. Uma coisa é criacionismo cientifico outra coisa é criacionismo religioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou falando merda não... Criacionistas em sua maioria creem sim nas Escrituras. Pra você ter certeza do que estou dizendo TODOS aqueles que defendem uma terra jovem tem alguma premissa religiosa.

      E as premissas do criacionismo científico na verdade são fundamentadas no religioso. Pode ver que o criacionismo científico procura se apoiar nas bases do criacionismo religioso, sendo assim a diferença é que o "científico" usa a ciência para provar o "religioso". Isso é o que indica a descrição do Adauto Lourenço. Assim como qualquer crença respeito quem seja criacionista, entretanto, não concordo com a descrição e funcionamento dos "criacionismos". Para mim, ciência e teologia tem pontos em comuns sim mas devem ser separados de uma forma bastante racional.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Anônimo,

      Você disse que a "maioria dos criacionista nem crê na Bíblia".

      Não tem sentido isso..Criacionista é aquele que acredita em um Criador, um Deus que fez todas as coisas conforme o que está na Bíblia.

      1.Qual que é a vontade de Deus?
      R: Que o ser humano o reconheça e glorifique como seu Criador

      2.Qual o instrumento para descobrir a vontade de Deus?
      R: Palavra de Deus (Bíblia) ela é a resposta.

      3.Quem está com a verdade, à Ciência ou a Bíblia?
      R: A veracidade da Palavra de Deus (Bíblia) sempre a frente da Ciência.

      Apocalipse 4:11 -"Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas".

      João 8:32 - “E conhecerão a VERDADE, e a VERDADE os LIBERTARÁ”.
      http://www.mitodobigbang.blogspot.com.br/

      Excluir
  6. Australopithecus Afarensis - Conhecido como "Lucy" foi provavelmente um macaco extinto (gorila ou chimpanzé).

    Como Tudo Começou: A Origem do Fósseis:
    https://www.youtube.com/watch?v=4s28vgxzL_c#t=1859

    Conheça a Verdade:
    http://www.mitodobigbang.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prof. Calebe Dalprat, paz do Senhor (sim, sou evangélico também).
      Você leu todo o artigo do "quem é Lucy" antes de postar isso?
      Nesse artigo tem-se uma análise bem profunda que busca responder o que é um Australopithecus...

      Agora, sobre os dois links:

      1º - o primeiro link é da palestra do dr. Adauto Lourenço. Esse video postado é cheíssimo de falhas e erros graves de paleontologia. Basta LER os artigos do nosso blog....

      2º - Big bang não é um mito e muitos criacionistas, como o Marcos Eberlin, aceitam-no. O Big bang não contradiz a Bíblia e dá margem para ela... acho que vc deveria mudar o link do seu blog, portanto.

      Portanto o que tenho a te dizer é que a verdade não pode ao mesmo tempo ser mentira. Esse site tem o propósito de mostrar a verdade por trás do tema criação vs evolução que muitos cristãos como vc desconhecem.

      Fique a vontade para lê-lo todo, e fico a disposição para eventuais dúvidas.

      Deus te abençõe!

      Excluir
  7. Homem-macaco?
    http://www.pibvp.org.br/index.php?name=News&file=print&sid=107

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora, tenho a resposta do que está por trás de todo esse texto - que é um texto falacioso... Quer conhecer a verdade? Então acesse os links abaixo:

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/01/mentira-por-tras-do-criacionismo-6.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/06/mentira-por-tras-do-criacionismo-10.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2012/12/um-novo-olhar-para-antropologia.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/02/estudando-origem-do-homem-parte-1.html

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  8. tenho pena dos autores deste blog. Só existe uma verdade e a bíblia - a palavra do Deus todo poderoso - não apoia a criação por meio da evolução. Os registros fosseis encontrados até hoje confirmam o relato de Genesis, todas as espécies de animais e plantas surgiram imediatamente sem ocorrer evolução. Além de não haver elos de ligação entre répteis e aves, hominídeos e humanos.
    A vida é muito, muito complexa, mesmo uma simples célula, para ter surgido sem que houvesse uma força inteligente por traz disso. Me responda por favor: Se a evolução realmente ocorreu após uma grande explosão, por que os cientistas não conseguem reproduzir vida, nem mesmo a mais simples célula em laboratório criando as condições perfeitas para isso?
    Ainda mais se a evolução realmente ocorreu por que ela parou? por que cada espécie se reproduz somente segundo sua espécie?
    Realmente há certas variações dentro de cada espécie. mas isso não significa que há evolução pois os abismos entre os fosseis de espécies diferentes é absurdamente enorme NÃO HÁ!!!
    Recente mente li artigos da revista scientific american uma das mais conceituadas, e cientistas do mundo inteiro assumidamente reconhecem que a teoria da evolução não tem fundamento e que seus argumentos são fracos.
    Sugiro a vocês autores a revisar sua pesquisa e baseá-la em fontes mais seguras, e cuidado para não alterar o que diz a Bíblia pois essa é exata e não mente ela é a verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa... Por que pena? Com todo respeito, você deveria pesquisar mais sobre biologia e teologia, pois está bem mal informado pelas coisas que digitou aí... Olha, por acaso você leu apenas esse artigo desse blog? Nós defendemos a veracidade das Escrituras, e o que mostramos é que a existência de fósseis intermediários (como o Australopithecus apresentado nesse texto que certamente você não leu) não depõe contra a Bíblia, mas sim pode servir como argumento a favor, desde que se entenda o que é a teoria da evolução... No nosso blog você consegue ver que a Bíblia não defende uma criação imediata dos seres, mas sim uma Criação a partir de uma origem comum universal, algo muito mais espetacular que uma "criação imediata", pois Deus não é tão simplista quanto nós, humanos; Seus caminhos são mais altos que os nossos. Sugiro a você, meu caro, que estude mais, com uma mente aberta, orando e pedindo discernimento a Deus, e que leia os artigos dispostos na página "gênesis, criação e evolução" e depois um a um do "mentiras por trás do criacionismo". Você irá perceber que a questão de bíblia e ciência é muito mais abrangente do que, pelo visto, você aprendeu, e qualquer dúvida que tiver estaremos aqui para atendê-lo. Sobre nossas fontes, te garanto que são bem seguras, temos o aval de inúmeros especialistas (paleontólogos, físicos, geólogos, biólogos, teólogos) e a nossa visão bíblica é a mesma que a de muitos autores cristãos reconhecidos como William Lane Craig e o próprio Michael Behe, autor do D.I. Fique na paz!

      Excluir
    2. Nada a ver seu comentário... Acho que você que precisa ler a bíblia para depois dar sua opinião.
      Defenda sua teoria com no campo que você mais dominar, que pelo que vejo não é o da teologia.

      Excluir
    3. "Acho que você que precisa ler a bíblia para depois dar sua opinião."

      Hein? Você leu meu comentário?
      Esse artigo - dos fósseis - não trata de teologia, nem de questão de religião, só da parte cientifica. Mas pra você que acha que não li a Bíblia, sem querer me gabar, mas já tem 14 anos que me dedico ao estudo da Palavra e isso me permitiu trazer a existencia esse blog. Leia os artigos dessa página e verá bastante temática apologética: http://genesisum.blogspot.com.br/p/genesis-criacao-e-evolucao.html.

      "Defenda sua teoria com no campo que você mais dominar, que pelo que vejo não é o da teologia."
      Leia os artigos da página que colei no link, eles tratam justamente dos 11 primeiros capítulos de Gênesis, no seu contexto geral. Outra coisa, como eu falei, a visão bíblica desse blog é igual a de muitos autores cristãos... se eu não domino teologia, então W.L.Craig e Alvin Plantinga por exemplo não dominam teologia? Por que se formaram teólogos então?

      Por favor, criticas construtivas. Use argumentos, defenda a sua teoria no campo que domina, leia novamente a Bíblia, e não poste criticas não-construtivas como essa.

      Excluir
  9. Leia:
    https://answersingenesis.org/human-evolution/lucy/lucy-the-knuckle-walking-abomination/

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Tem que ter muita fé para acreditar que meia duzia de ossos é de um ser intermediário entre o homem e o macaco. Por favor, no meio científico há também muito picareta e pessoas apenas interessadas em receber investimentos ou financiamentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro, leia esse artigo e coloque-o a prova. Não foram meia duzia de ossos encontrados, isso que esse artigo só fala do gênero Australopithecus. A intenção é mostrar que a argumentação que os criacionistas usualmente usam contra esse fóssil é falha.

      Excluir
  12. A terra tem aproximadamente 14 bilhões de anos. O universo e a terra foram criados por Deus mas as coisas existentes no planeta não surgiram instantaneamente. Mas também está longe de ser como evolucionistas defendem. Há muitos erros por parte dos dois lados. Deus é atemporal ou seja para Deus não há tempo, dias ou horas. Quando Moisés descreve "houve manhã e tarde e assim foi o primeiro dia" isso não é literal. O primeiro dia de gênesis pode ter durado 1 milhão de anos!
    Em gênesis 2:5 diz: "Ainda não havia nenhuma planta no campo, na terra, pois ainda nenhuma erva havia brotado" -- Se Deus criou tudo instantaneamente então porque não havia vegetação ainda? Deus deu a ordem , e essa ordem vem se cumprindo até hoje.
    É preciso porem ter muito cuidado ao citar certas fontes ou encher o peito para falar certas coisas como se fosse verdades absolutas. Quando citamos fósseis como o do artigo precisamos esclarecer certas coisas: Quem achou o fóssil? Quem diagnosticou? Quem datou? Foram cientistas ateus ou criacionistas? Os criacionistas tiveram acesso a esse estudo? A veracidade pôde ser comprovada pelo lado oposto ou só seus descobridores tem acesso absoluto? Não devemos acreditar em tudo que falam. Podem muito bem estarem mentindo. Não são apenas criacionistas que mentem pelo contrário, e vc sabe muito bem disso , a maioria das provas evolucionistas foram forjadas. Os dois lados podem mentir e forjarem provas porem evolucionistas levam vantagem quando se trata de mentiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SE A TERRA TIVESSE UM BI, SÓ UM BI, A LUA ESTARIA ROLANDO EM CIMA DELA E PARTIRIA ELA AO MEIO. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Edjaime, esse artigo e outros da sessão "por trás do criacionismo da terra jovem" justamente procuram responder essas perguntas, no tocante a fósseis: " Quem achou o fóssil? Quem diagnosticou? Quem datou? Foram cientistas ateus ou criacionistas? Os criacionistas tiveram acesso a esse estudo? A veracidade pôde ser comprovada pelo lado oposto ou só seus descobridores tem acesso absoluto?"

      Essas respostas sobre a Lucy têm já no artigo, mas como seu argumento foi bem fundamentado, merece uma resposta dahora hehe

      Vamos lá

      1 - o holótipo do Australopiteco foi achado foi descoberto em 1924, em uma pedreira de cal por trabalhadores em Taung, África do Sul. O espécime foi estudada pelo anatomista australiano Raymond Dart, que trabalhava então na Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo. As outras várias amostras do gênero foram descobertas por vários pesquisadores.
      2 - Não é claro se foram ateus ou criacionistas, a questão é que vários fósseis já achados foram datados por equipes de cientistas. Entretanto, o argumento da Lucy ser um chimpanzé foi escrito por um criacionista.
      3 - Há acesso tanto aos originais para quem quiser estudar quanto a replicas autenticas (tem algumas no Catavento cultural), tiradas de um molde diretamente dos fósseis originais (muitas das reconstruções de fósseis de museus, inclusive dinossauros, são replicas autenticas dos originais que estão num laboratório...). Tanto é verdade que há acesso que o criacionista que fez o artigo dizendo que a Lucy era o chimpanzé fez isso com base em poucos ossos encontrados, o qual ele teve acesso. Toda vez que um fóssil é impedido acesso, é de se desconfiar, como foi o icônico caso de Piltdown

      Ou seja, fique tranquilo que todos os artigos desse blog foram escritos após uma grossa análise dos fatos.

      Fique a vontade para quaisquer esclarecimentos.

      Abraços!

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. desculpe fiquei em dúvida, então Deus soprou o fôlego de vida num ser que já existia, que já tinha vida??
    não posso acreditar nisso...
    leia:http://www.uncommondescent.com/intelligent-design/icon-of-evolution-lucy-bites-the-dust/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida que Deus soprou... é a vida física? É isso que deve ser analisado. Leia http://genesisum.blogspot.com.br/2011/02/estudando-origem-do-homem-parte-1.html

      Excluir
  15. A COISA MAIS LOUCA É ACREDITAR NESSA ABERRAÇÃO. É EU DEIXAR DE OUVI JESUS QUE JÁ DEU MAIS QUE PROVA DA SUA AUTORIDADE E DEIDADE PARA ACREDITAR NUM BANDO DE CIENTISTAS MALUCOS E ATEUS QUE NÃO DORMEM DE NOITE PARA PRO
    VAR QUE DEUS NÃO EXISTE. KKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A coisa mais louca é tirar sarro sem sequer ter lido o artigo, deve ter visto a foto dos fósseis do Australopithecus e só. Amigo, leia e escreva um comentário respeitoso se quiser. Esse ainda vou deixar, mas serve como advertência, pois todos merecem respeito independente da crença ou posição, seja ateu, agnóstico ou cristão. Intolerância e criticas não construtivas não são aceitos aqui. Está avisado.

      Excluir
  16. Sobre as pegadas de Laetoli: http://creationwiki.org/Laetoli_footprints_were_human

    ResponderExcluir
  17. muitos argumentos,mtas palavras, porém pessoas continuam morrendo de forme, comunidadees sendo devastadas por terroristas, crianças morrendode forme, não so na africa mas nas nossas ruas cidades..mi pergunto a descoberta de um osso de australopimerda vai ajuda em ker para a sociedade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio, você vai pedir para um desenhista fabricar pão? Ou para um astrônomo estudar a cura pro câncer? Ou você vai pedir para o líder dos jovens da igreja liderar o grupo das irmãs? Paulo diz que a igreja é como um corpo temos vários órgãos como diferentes funções, todos fundamentais para o bom funcionamento do corpo, e na ciencia não é diferente, pois, por que o paleontólogo que estudou os fósseis da Lucy vai se preocupar pra estudar a cura pra alguma doença? Pense nisso...

      Excluir
    2. António então porquê deus não faz isso?, quem tem obrigação para acabar com tudo isso é Deus não um austrolopithecus, então ata agora não vi Deus fazer nada.

      Excluir
  18. Lucy logo logo será desbancada e provada falsa como os outros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkk, glayson que fóssil foi desbancando?, nenhum estuda antes de falar mês da.

      Excluir