Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Evidências arqueológicas de Sansão


Recentemente, arqueólogos encontraram a tumba de Sansão, na cidade de Belt Shemesh, a 50 quilômetros de Jerusalém. O lugar virou ponto turístico, onde o homem de força sobrenatural é visto como herói, apesar de ter sucumbido aos encantos de Dalila.

Na verdade, o túmulo de Sansão é o lugar final onde foi sepultado um homem que tinha uma missão específica, mas que teve muitos problemas para atingir sua meta porque envolveu-se com uma mulher.

O relato é bíblico. Uma história de amor e de traição aconteceu no que hoje faz parte de Israel. Sansão era hebreu e se diferenciava pela força vinda dos seus cabelos. Um dom, que de acordo com a Bíblia, foi dado por Deus para que ele liderasse a luta dos hebreus contra os filisteus. Dalila era filistéia e foi orientada a seduzir Sansão para descobrir a origem de sua força. Sansão se apaixonou por Dalila e contou o segredo. Ela o traiu, entregando-o para seus inimigos.

O caminho que restou dessa história foi seguido por Herbert Moraes que fez uma reportagem exibida no Jornal da Record, em 4 de janeiro.

O repórter contou que já se passaram três mil anos que dessa história – veja narração em Juízes 13. Há 60 anos, foram realizadas grandes descobertas sobre o tema em Israel.

Além da descoberta da tumba, sabe-se, por exemplo, que os filisteus chegaram por mar e poderiam ser de origem grega. Cidades ocupadas pelos filisteus ainda contam a história, guardando vestígios. Em Ashdob a história de Sansão e Dalila é contada por estatuas nas calçadas e em um museu há vestimentas dos soldados, potes, máscaras e instrumentos musicais.

Questionado se uma das máscaras poderia ser de Dalila, o diretor do museu afirma que não há descrições sobre ela.

Em Ashkelon, a 30 quilômetros de Ashdob, é possível ver o porto e as muralhas que protegiam a cidade. Arqueólogos descobriram também um prostíbulo. Um dos responsáveis pelas escavações afirmou que o próprio Sansão costumava assediar as mulheres inimigas. Algumas da cidade de Gaza.

Pela primeira vez arqueólogos provaram que o templo dos filisteus tinha mesmo duas colunas, como narra a Bíblia. Sansão teria retomado as forças depois de fazer um último pedido a Deus. Derrubou as colunas, morreu e matou todos os presentes na festa. Após esse final, a Bíblia não dá mais detalhes sobre a vida dele.

Para quem quiser conhecer mais detalhes da história, fiquem ligados na minissérie Sansão e Dalila na Record, às 23h.

Fonte:

http://jornalistadenisesantana.blogspot.com/2011/01/arqueologia-encontrado-tumulo-de-sansao.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário