Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Dinossauros na Arca de Noé? (parte 3)

[PÁGINA ATUALIZADA EM 20/07/2012 ÁS 10:04]

De acordo com tudo o que já vimos anteriormente, parece que os dinossauros não foram contemporâneos ao homem. Contudo, ainda existem argumentos em favor da coexistência entre humanos e dinossauros. Que tal analisarmos esses argumentos?



ERRO NO CRESCIMENTO


Existiram espécies imensas de dinossauros. Alguns, como o Brachiosaurus, pesavam cerca de 80 toneladas. Certamente um casal desse animal não caberia na arca... Mas afinal de contas, o que o Criacionismo da Terra Jovem tem a nos dizer sobre isso?

Como sabe-se pelas medidas da Arca que a Bíblia nos fornece em Gênesis, as dimensões dela eram gigantescas. Calcula-se que nela caberiam 520 vagões de um comboio. Nela caberiam cerca de 40.000 animais. E, logicamente, girafas, elefantes, e outros grandes animais. E de acordo com os criacionistas, há uma explicação "plausível"... Veja o argumento utilizado nessa questão pelo artigo "Dinossauros: a Ciência e a Bíblia face a face":

"Os dinossauros cresciam sempre(...). Os homens crescem até aos 20/30 anos. Então, pára o crescimento. Mas os dinossauros cresciam sempre! Ora, Deus trouxe para a Arca somente os pares que pudessem "povoar a terra e nela se multiplicarem" (Gên. 8:17). Deste modo, os enormes dinossauros não entraram na Arca - eles seriam "avós" e não se podiam reproduzir. Mas, em contrapartida, entraram os jovens dinossauros - mais pequenos, é verdade, mas dinossauros." - Confira a matéria toda aqui.

Acontece que esse argumento possui um grande defeito. Observe:

"Os homens crescem até aos 20/30 anos. Então, pára o crescimento. Mas os dinossauros cresciam sempre!"

Mentira absoluta. Os répteis crescem sem parar, isso é verdade, mas não podemos dizer o mesmo dos dinossauros, que segundo recentes análises, eram animais de sangue quente. Aliás, está comprovado o contrário...

O cientista Anusuya Chinsamy-Turan, da Universidade da Cidade do Cabo, África do Sul, descobriu que o sauropodomorfo Massospondylus, por exemplo, levava 15 anos para atingir um comprimento de 2 a 3 metros. Erickson e Tatanya A. Tumanova, do Instituto Paleontológico de Moscou, descobriram que o pequeno marginocéfalo Psittacosaurus amadurecia com 13 a 15 anos de idade. E foi calculado que o ornitópode bico-de-pato Maiasaura (imagem ao lado) chegava à idade adulta com 7 ou 8 anos, idade na qual já tinha 7 metros de comprimento. No entanto, os saurópodes gigantes ultrapassam todos os outros: Martin Sander, da Universidade de Bonn, na Alemanha, descobriu que o Janenschia atingia a maturidade com cerca de 11 anos, embora continuasse a crescer substancialmente depois disso. Frédérique Rimblot-Baly e seus colegas na Universidade de Paris VII determinaram que o Lapparentosaurus chegava a seu tamanho máximo antes dos 20 anos de idade. Kristina Curry Rogers, do Museu de Ciência de Minnesota descobriu que o Apatosaurus amadurecia em oito a dez anos - com um ganho de peso anual de quase 5.500 kg!

Ou seja, o argumento apresentado, de que entraram os mais jovens, não pode ser sustentado, pois os dinossauros cresciam demasiadamente rápido (lembre-se que Noé foi advertido sobre o dilúvio 120 anos antes do mesmo e que levando em conta o numero de espécies que entraram na arca calcula-se que demorou muito tempo para, de dois em dois, os animais entrarem.) e cresciam até um certo ponto, depois paravam de crescer.

Tomemos como exemplo, para entender o problema do argumento, o dinossauro Apatosaurus, que amadurecia em oito a dez anos - com um ganho de peso anual de quase 5.500 kg. leve em conta três fatos:

- O apatosaurus era um dos muitos gêneros de saurópodes que existiram;
- Os diplodocidae, família do Apatosaurus, não eram tão pesados como os Titanosauridae e Brachiosauridae, que oscilavam entre 80 e 100 toneladas;
- O dilúvio durou um ano, segundo a Bíblia, mas bem antes disso Noé teve que levar os animais pra arca, e as estimativas indicam que pode ter demorado mais ou menos 1 ano para todos os animais entrarem.

Agora, consideremos: Se a cada ano o Apatosaurus aumentava em 5 toneladas - algo perto do peso do elefante -(sendo que haviam saurópodes mais pesados como ele),quantas toneladas, juntos, os vários saurópodes (Brachiosaurus, Jobaria, etc) teriam juntos do tempo em que entraram e saíram da arca? A arca suportaria tantas toneladas assim?



MAIS PROBLEMAS...


Os problemas de se admitir os dinossauros e outros seres pré-históricos como sendo contemporâneos não param aí. Existe alguns problemas acerca dessa visão que não podem simplesmente ser ignorados:

- Calcula-se que se pegássemos toda a fauna pré-histórica que hoje é documentada pelo registro fóssil e fizéssemos que ela vivesse toda numa mesma época, como afirmam os Criacionistas da Terra Jovem, não haveria quase espaço no planeta, tanto na terra seca quanto nos oceanos.

- Algumas espécies de dinossauros são encontradas somente em rochas de determinado período. Um bom exemplo é a família Ankylosauridae, cujos fósseis só são encontrados em rochas do Período Cretáceo. Se a geocronologia estivesse errada e os dinossauros fossem contemporâneos, casos como esse não deveriam acontecer.

Concluímos, então, pela arqueologia e pela paleontologia, que os dinossauros não foram contemporâneos ao homem, ou seja, não viveram no tempo do Dilúvio. Como pode ser visto aqui, existem evidências do dilúvio de Gênesis, no entanto, tudo indica que os dinossauros viveram milhões de anos antes de Noé (como aceitar os milhões de anos sob a ótica bíblica? Confira aqui).

Mas isso não quer dizer que não haja menção bíblica dos dinossauros...



OS "TANNIYNS"


Não existe menção bíblica nenhuma de que Saurísquios e Ornitísquios entraram na Arca de Noé, nem que humanos e dinossauros coexistiram. Porém, na realidade, a Bíblia menciona sim os dinossauros, apesar de jamais haver usado a palavra “dinossauro” (que foi criada pelo cientista Richard Owen). Ao invés disso, usa a palavra tanniyn, vinda do Hebraico. Tanniyn é traduzida de algumas poucas maneiras diferentes nas Bíblias de língua inglesa; às vezes como “monstro do mar”, às vezes como “serpente”. É mais comumente traduzida como “dragão”. Tanniyn parece ter sido algum tipo de réptil gigante. Estas criaturas são mencionadas quase trinta vezes no Antigo Testamento e são encontradas tanto em terra quanto no mar. Possivelmente esse termo, então, pode descrever:

- Ou dragões cuspidores de fogo, que alguns cientistas acreditam que tenha existido;

- Ou a animais que os hebreus só conheciam pelas ossadas fósseis encontradas, mas que nos tempos da Criação foram criaturas que dominaram em absoluto em seu tempo.

Vale lembrar que, segundo a Bíblia, os Tanniyns foram criados no 5º dia, juntamente com as aves e peixes atuais (Gênesis 1:21 parte "a" diz: "E Deus criou os grandes monstros do mar [Tanniyns]). Coincidência ou não, foi na Era Mesozóica (a Era dos Dinossauros) que as categorias de aves e categorias de peixes atuais surgiram.


Além de mencionar estes répteis gigantes quase trinta vezes no Antigo Testamento, a Bíblia descreve algumas criaturas de tal modo que alguns estudiosos acreditam que poderiam estar descrevendo dinossauros. Behemoth é descrito como a mais poderosa de todas as criaturas de Deus, um gigante cuja cauda é comparada à árvore de cedro ( 40:15 em diante). Alguns estudiosos tentaram identificar Behemoth como um elefante ou hipopótamo. Outros dizem que tanto elefantes quanto hipopótamos têm caudas muito finas, nada que se possa comparar ao cedro. Porém, as únicas criaturas corpulentas que possuíram a cauda longa e forte como o cedro são os sauropodomorfos pertencentes á família Diplodocidae. Um exemplo clássico de dinossauro dessa família é o Diplodocus (imagem acima), de 27 metros de comprimento e cauda tão longa que era utilizada como um potente chicote.

Mas, então, isso quer dizer que viu um Diplodocus? Não exatamente... O fato é que quem faz a descrição desse sauropodomorfo não é , mas sim Deus. O Criador pode ter mostrado esse dinossauro em visão para Jó, por isso o relato começa dizendo, no verso 15: "Contempla o Behemoth, que eu fiz contigo". Atente também para a "ironia" na frase "que eu fiz contigo": o sentido da ironia aumenta ainda mais se estiver se tratando de um animal que só conheceria por ossadas encontradas ou em visão, e que viveu há 140 milhões de anos...

O Leviathan, descrito no capítulo 41 do mesmo livro, também foi descrito por Deus, mas nesse caso o animal parece ser conhecido pelo patriarca. Dinossauro vivo? Não, pois o Leviathan não possuía características nem de dinossauro e nem de plessiossauro. As características do Leviathan apontam apenas para dois animais: 1 -  Os dragões cuspidores de fogo, lendários em várias culturas, inclusive na Medieval. Segundo alguns estudos recentes, é bem provável que esses dragões tenham realmente existido, dado a forma que são descritos nas mais diversas culturas e a possibilidade já comprovada de existir um animal com tais características. 2 - O mosassauro (um lagarto-monitor marinho gigantesco com um corpo esguio), que existiu na pré-história mas, segundo relatos de pescadores ao longo da história, pode ser que tenha convivido com o homem em tempos antigos, mesmo ainda não tendo sido encontrado um fóssil recente dessa criatura.

Finalizando, a última menção de um dinossauro encontra-se no livro de Daniel.


DINOSSAURO EM PROFECIA?


Em Daniel 7, o profeta tem a visão de quatro animais (representando quatro reinados): um similar a um leão (mas com asas), outro similar a um urso (com 7 costelas na boca), outro similar a um leopardo (mas com quatro cabeças), e um último que Daniel não soube dizer com o que se parecia. Observe a descrição desse quarto animal: Vi ainda um quarto animal, aterrorizante, assustador e muito poderoso. Tinha grandes dentes de ferro, com os quais despedaçava e devorava suas vitimas e pisoteava tudo o que sobrava. Era diferente de todos os outros animais”. Daniel, 7:7 e 19.

Os outros três animais foram embasados, por Deus, em três animais que realmente existiram e existem: o leão, o urso e o leopardo. Ora, sendo assim, é de se esperar que o 4º animal também tivesse existido. Vejamos as características desse 4º animal:

- Daniel nunca viu nada parecido com ele;

- Era medonho e assustador;
- Possuía chifres e/ou espinhos;
- Possuía "dentes de ferro" com os quais dilacerava as vítimas;

- Pisoteava tudo o que sobrava, ou seja, usava os seus pés também como arma.

O único animal que alguma vez já caminhou sobre a Terra que reúne todas as características acima é um terópode chamado Carnotaurus sastrei.

Ele tinha um focinho curto, como o do buldogue, mas tinha sua boca recheada de dentes afiados, de modo que não se parecia com nada que hoje existe; parecia-se apenas com o que era: um dinossauro. Visto de frente, a sua aparência, na realidade, ficava mais esquisita ainda (observe ele de frente na imagem ao lado). Acima dos olhos tinha dois chifres parecidos com asas (daí seu nome, que quer dizer “touro carnívoro”), e ainda possuía uma série de calombos pelas costas. Entretanto, seus braços eram totalmente atrofiados e praticamente inarticulados, não serviam para nada, sendo apenas “úteis” as garras afiadas nos pés. Nenhum ser humano jamais o viu: ele teria vivido há 100 milhões de anos, na Patagônia, Argentina. Todas essas características, sem dúvida, identificam o Carnotaurus como o animal representado simbolicamente na visão de Daniel (o que essa visão representa, de forma sintetizada? Confira aqui).

É interessante notarmos que tanto o Behemoth quanto o 4º animal são criaturas que nenhum homem viu de perto, e a forma que são descritos os seres na Bíblia parece que o autor os viu vivos. Isso é mais uma prova da autenticidade bíblica, pois como haveria a descrição perfeita de características de animais pré-históricos, se não fosse o Criador para trazer essas descrições á tona?

E a pergunta que não quer calar: Como e por quê os dinossauros se extinguiram? Confira aqui.

CONCLUSÃO


Definitivamente, nós podemos concluir que a Bíblia trata, sim, do tema "dinossauros", porém, não existem passagens bíblicas que digam com todas as palavras que os dinossauros coexistiram com humanos ou que eles entraram na Arca de Noé, ou mesmo que pereceram no dilúvio. Tal argumento, que seria o único modo de explicar os dinossauros em uma Terra de supostos 6 mil anos, não é sustentado nem pela Bíblia, nem pela paleontologia e nem pela arqueologia.

Contudo, podemos concluir também que, mais uma vez, a Bíblia está de acordo com as evidências científicas; por isso diz-se que ela continua atual. Isso não quer dizer que a Bíblia seja um compêndio científico (também porque não é), mas quer dizer que, verdadeiramente, ela contém relatos e menções que coincidem inclusive com as mais recentes descobertas científicas. Ao que parece, então, as palavras do químico Lowis Pasteur, pai da microbiologia, parecem fazer um certo sentido:

"Pouca ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima".

34 comentários:

  1. Artigo inconclusivo. Ele se preocupa mais em desmentir que provar alguma coisa. A dúvida permanece.

    ResponderExcluir
  2. ??

    O artigo teve conclusão sim, e se não ficou claro, a conclusão é de que não existe evidência científica nem bíblica de que dinossauros estiveram na arca de noé, e o objetivo do artigo é de realmente colocar toda essa história a limpo, revelando a realidade sobre o assunto. E como pode ser visto na 3ª parte, isso não significa que a Bíblia não trate do tema Dinossauro, muito pelo contrário...Mas não há a alegação de que estes coexistiram com os humanos.

    Críticas construtivas (construtivas) sempre são bem-vindas; com elas podemos melhorar cada vez mais o conteúdo do blog Genesis 1, para trazer assim informações de qualidade.

    ResponderExcluir
  3. Bem,

    Ainda bem que Noé era bem mais esperto que você. Deus disse a Noé para colocar casais de cada espécie na arca mas não disse que precisariam ser animais adultos. Por maior que fosse o dinossauro, os filhotes deles não ocupariam tanto espaço na arca.

    ResponderExcluir
  4. Bom, a respeito disso, e eu deixei bem claro sobre isso no próprio artigo, os dinossauros cresciam muito rápido... e esse argumento, que sequer tem base bíblica, é simples de ser refutado se considerarmos o ganho de peso anual dos saurópodes. Um exemplo do próprio artigo (e que deve ter passado desapercebido por você)é o do Apatosaurus: "o Apatosaurus amadurecia em oito a dez anos - com um ganho de peso anual de quase 5.500 kg!"

    Agora leve em conta três fatos:
    - O apatosaurus era um dos muitos gêneros de saurópodes que existiram;
    - Os diplodocidae, família do Apatosaurus, não eram tão pesados como os Titanosauridae e Brachiosauridae, que oscilavam entre 80 e 100 toneladas;
    - O dilúvio durou UM ANO, segundo a Bíblia, mas bem antes disso Noé teve que levar os animais pra arca

    Agora, consideremos: Se a cada ano o Apatosaurus aumentava em 5 toneladas - algo perto do peso do elefante -(sendo que haviam saurópodes mais pesados como ele),QUANTAS TONELADAS OS VÁRIOS SAURÓPODES JOVENS TERIAM DESDE O TEMPO EM QUE ENTRARAM E SAÍRAM SUPOSTAMENTE DA ARCA?

    É claro que não estou negando o dilúvio de Noé, e nem tem como negar... Mas há sérios problemas em defender que dinossauros e humanos foram contemporâneos, e esse foi mais um exemplo...

    ResponderExcluir
  5. acho toda esta discussão um tanto quanto tola. é facil entender que se estes animais carnivoros e gigantes estivessem na arca ainda estariam vivos.

    o homem foi criado a aproximadamente de 6 a 7 mil anos, mas a terra ja existia desde o pricípio Gn. 1:1. A terra sempre foi sem forma e vazia ou foi arrasada para a criação do homem na terra, essa discussão não tem propósito. Ninguém tem a resposta.

    ResponderExcluir
  6. O q acha disso?
    http://existenciaconsciente.blogspot.com.br/2011/11/pterodactilos-em-pleno-seculo-xix.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Então, até onde pude pesquisar, essas fotos apresentadas foram forjadas, de acordo com pesquisas feitas em cima delas.

      Excluir
  7. Queria que escrevesse um artigo sobre esses dos textos:
    http://opesquisadorcristao.blogspot.com.br/2009/08/os-dinossauros-na-historia.html

    http://opesquisadorcristao.blogspot.com.br/2009/08/os-dinossauros-vivos-hoje.html

    ResponderExcluir
  8. Algumas das citações desses artigos são "desmentidos" no "dinossauros na arca de noé parte 2", mas de qualquer forma estou bolando mais um artigo que trará um "reforço" interessante sobre o tema, mencionando algumas coisas que não foram colocadas que estão nesses artigos que você citou.

    Já estamos produzindo, é só aguardar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Fique na Paz!!!

      Excluir
  9. Qual o seu conceito sobre o Mekele Mbembe e o Mostro do Lago Ness?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ambos os casos são assuntos muito interessantes... Pra explicar meu conceito levaria um bom tempo, mas o proximo artigo que estou preparando abordará esse tema, dentre outros. Aguarde.

      Excluir
  10. Seu artigo baseia-se em suas suposições


    "- O dilúvio durou UM ANO, segundo a Bíblia, mas bem antes disso Noé teve que levar os animais pra arca"

    Quem disse que Noé levou os dinos para arca bem antes?
    Se a idéia era levar animais pequenos, porque esperar que crescessem? Alem do mais é claroa que deve ter reunido estes animais dias antes de embarcar senão teria que gastar todo o seu tempo alimentando e cuidando de todos. O propósito de Deus era que ele anunciasse o diluvio.

    Eu achei um argumento muito razo e sem logica me desculpe se interpretei errado se vc desejar expor melhor sua idéia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dilúvio durou realmente um ano, mas Noé necessitou de um bom tempo para reunir todos os animais. A questão é que a taxa de crescimento de um dinossauro é demasiadamente rápida, além disso, dizer que os filhotes no fundo da arca, por ser frio, reduziria o metabolismo, seria certo SE os dinossauros fossem animais de sangue frio, mas os estudos mais recentes estão questionando isso...

      O artigo talvez realmente pareça "desconexo" se você leu só essa parte. O artigo é dividido em 3 partes e o objetivo não é mostrar que o dilúvio não aconteceu, mas sim que é mínima a possibilidade dos dinossauros terem coexistido com humanos e terem entrado na arca.

      De qualquer forma, muito obrigado por expor sua opinião.
      E sobre esse mesmo assunto, nesse mesmo blog você pode entender mais o que diz nesse artigo por esses artigos aqui:

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/01/extensao-do-diluvio-de-genesis-parte-1.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/01/extensao-do-diuvio-de-genesis-parte-2.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2012/07/lenda-dos-dinossauros-parte-1.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2012/07/lenda-dos-dinossauros-parte-2.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2012/07/lenda-dos-dinossauros-parte-3.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/p/mentiras-por-tras-do-criacionismo.html

      Excluir
  11. Cara não estou falando sobre ter havido diluvio ou não.
    Li o artigo do "Pesquisador Cristão" e outros blogs tambem. O que questiono é que nesta afirmação você diz que Noé esperou anos quando na verdade não existem bases para esta afirmação, nem verciculos ou referencia historica. é sua suposição!
    A logica seria que Noé teria recolhido os animais ou Deus os teria trazido para a arca nos momentos finais. Caso contrario teria que ter construido abrigos, recolhido alimentos etc. é mais facil supor que ele os pegaria quando a arca ja tivesse contruida, do cantrario seria impossivel administrar as duas tarefas ao mesmo tempo.

    Alem disto a Biblia põe estes fatos na ordem, Noé primeiro entra na arca e depois recolhe os animais para dentro dela sete dias antes do diluvio.



    Depois disse o SENHOR a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração.

    De todos os animais limpos tomarás para ti sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea.

    Também das aves dos céus sete e sete, macho e fêmea, para conservar em vida sua espécie sobre a face de toda a terra.

    Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e desfarei de sobre a face da terra toda a substância que fiz.

    E fez Noé conforme a tudo o que o SENHOR lhe ordenara.

    E era Noé da idade de seiscentos anos, quando o dilúvio das águas veio sobre a terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz, Marcos!

      Mais uma vez agradeço pela exposição de sua opinião. Criticas construtivas sempre são bem-vindas!

      Bom, vamos lá, vou responder aos poucs. Então, um dado que talvez eu tenha esquecido de colocar no artigo é que, levando em conta os grupos animais existentes no passado, o transporte deles na arca não seria rápido... E o problema está no crescimento dos dinossauros DURANTE o dilúvio. Tem uma explicação para isso que dei aqui mesmo em resposta a outra pessoa mas faço questão de reescrevê-la pra você:

      "Um exemplo do próprio artigo (e que deve ter passado desapercebido por você)é o do Apatosaurus: "o Apatosaurus amadurecia em oito a dez anos - com um ganho de peso anual de quase 5.500 kg!"

      Agora leve em conta três fatos:
      - O apatosaurus era um dos muitos gêneros de saurópodes que existiram;
      - Os diplodocidae, família do Apatosaurus, não eram tão pesados como os Titanosauridae e Brachiosauridae, que oscilavam entre 80 e 100 toneladas;
      - O dilúvio durou UM ANO, segundo a Bíblia, mas bem antes disso Noé teve que levar os animais pra arca

      Agora, consideremos: Se a cada ano o Apatosaurus aumentava em 5 toneladas - algo perto do peso do elefante -(sendo que haviam saurópodes mais pesados como ele),QUANTAS TONELADAS OS VÁRIOS SAURÓPODES JOVENS (já que existiam outras espécies tb como o Jobaria, Mamenchisaurus, Barosaurus, argentinosaurus, etc...)TERIAM DESDE O TEMPO EM QUE ENTRARAM E SAÍRAM SUPOSTAMENTE DA ARCA?"

      Aliás é importante notar que nem sempre a Bíblia apresenta os fatos em forma cronológica. Um bom exemplo são as duas descrições da Criação nos dois primeiros capítulos de Gênesis.

      Excluir
  12. Em outro trecho do artigo você tambem supõe o seguinte:

    "E Deus ainda diz no versículo 15 para Jó, de forma irônica: "Contempla o Behemoth, que eu fiz contigo". O sentido da ironia aumenta ainda mais se estiver se tratando de um animal que Jó só conhecia por ossadas encontradas e que viveu há 140 milhões de anos..."

    Eu não vejo desta forma pois Deus descreve a Jó um animal vivo e não um apenas conhecido por ossadas.
    Alem disso é suposição dizer que Deus estava sendo ironico.
    O texto descreve os habitos deste animal usando termos do presente e até compara com animais vivos

    "Contemplas agora o beemote, que eu fiz contigo, que come a erva como o boi.
    Jó 40:15"

    "come" está no presente e não "comia"

    E Ele diz para Jó comtemplar, ou seja ver este animal em seu habitat e em seus habitos cotidianos. Tambem menciona planicies e um ambiente atual e não pré-historico.

    Não estou querendo combater sua postagem mais me interesso muito por estes assuntos e vejo muita coerencia em algumas idéias de criacionistas da terra jovem. Embora outras eu despreze completamente.

    Acredito que vc precisa ser mais criterioso ao analizar estas passagens sem se ater a deduções se não puder provar.

    Parabens pelo blog está bem interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sobre isso eu lhe peço desculpas, foi falha mesmo. Por quê? Porque a parte do Behemoth realmente está desatualizada... Tem outro artigo nesse blog que trata da questão do Behemoth e realmente a questão do sentido de "contemplar" deve ser considerada como você colocou, mas existe uma outra explanação para isso. É que estou sem tempo agora mas dentro em breve vou atualizar essa página. De qualquer forma, o referido artigo sobre o Behemoth é esse (esse está muito bem estruturado): http://genesisum.blogspot.com.br/2011/05/quem-foi-o-behemoth-do-livro-de-jo.html

      Excluir
    2. Ah, e mais uma observação. Naquele link que te passei está explicando o porquê da "ironia", que aliás se você ver se encontra no texto todo de Jó 38, 39, 40 e 41, e sobre a questão das planícies. Você pode não saber mas esses eram os habitats desses animais mesmo. E muitas vezes, na Bíblia, Deus fala do passado usando o verbo no presente.

      Excluir
  13. Sobre outro ponto que vc tocou aqui...

    "além disso, dizer que os filhotes no fundo da arca, por ser frio, reduziria o metabolismo, seria certo SE os dinossauros fossem animais de sangue frio, mas os estudos mais recentes estão questionando isso..."

    Na verdade a hibernação não tem nada haver com o sangue frio ou quente a maioria dos animais que hibernam possuem sangue quente.

    - Morcegos
    - Texugos
    - Andorinhas
    - Ursos
    - Gambás
    - Tartarugas
    - Doninhas
    - Castores
    - Ratos
    - Cágado
    - Joaninha
    - Esquilo

    Lembrando que a hibernação ocorre no inverno e principalmente em periodos e regiões que passam por declinio de exposição solar.
    Não estou defendendo os argumentos dos criacionistas mas não vejo problema em aceita-los

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, acho que fui meio "raso" nessa explanação. Como eu disse, esse artigo é meio antigo, e preciso atualizá-lo. Enfim, o criacionismo baseia-se nisso levando em conta que o frio fez baixar o ritmo cardíaco e diminui o metabolismo, mas na verdade ocorre o contrário: com frio moderado o corpo necessita de mais calor, logo metabolismo mais acelerado. Então eles dizem que eles se alimentavam menos (cerca de 1 centésimo do normal). Mas 1/100 corresponde a um estado quase absoluto de hibernação. Então os filhotes mudariam todos o seu organismo e metabolismo de um dia para o outro, ainda por cima para um dos sistemas mais difíceis de sobrevivência. E engordariam todos que nem potes para acumularem a energia necessária. Para isso não tem-se nem base biblica ou científica.

      Espero ter ajudado a esclarecer a questão, e em breve atualizarei essa página! Muito obrigado e qualquer dúvida fale conosco! A paz!

      Excluir
  14. A biblia nao menciona quanto tempo o homem ou o primeiro homem Adao viveu no paraizo depois do quinto dia como muitos imterpretam o livro de genessis acho que ninguem pode afirmar datas da criacao humana.Quantos anos tinha Adao antes da criacao da mulher Eva? Sera q foi um ano ou cem ou mil,milhoes pois o homem era eterno!!
    A biblia nao relata data para esse dia da criacao que se analizarmos ja e antes de Deus criar o casal ja existisa os animais segundo a biblia genissi

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Muito bom mesmo tudo isso, gostei.
    Acessem lá por favor e me ajude com os debates:), gostaria de criar alguns.https://www.facebook.com/pages/Ser-Crist%C3%A3o/783088888387854

    ResponderExcluir
  17. Meu caro amigo, seu artigo está EXCELENTE!!!, finalmente encontrei alguem cristao brasileiro que percebe do que fala. Nao ligue a alguns comentarios que dá para perceber que sao feitos por pessoas que andaram a ver demasiados videos de "adautos lourenços" e companhia com suas palhaçadas habituais para tentar convencer os outros que a Terra tem os seus ridiculos 6000 anos porque eles acham que se deve interpretar literalmente os dias de genesis. OBS- essas pessoas normalmente em termos de conhecimento cientifico sao zero, limitam-se a imitar aquilo que os seus modelos criacionistas falam...Vou ler mais textos no seu blogue!

    ResponderExcluir
  18. Quando falamos de Deuses Nórdicos é Mitologia Nórdica.
    Quando falamos de Deuses Gregos é Mitologia Grega.
    Quando falamos de Deuses Hindus é Mitologia Hindu.
    E porque quando falamos do "Deus" judaico-cristão, não é Mitologia Romana?

    Sendo que "Deus" se encaixa no perfil de Mitologia.

    Ser Mágico sem prova da existência = Mitologia

    Então, porque o seu deus é verdadeiro e o dos outros é mito?!?

    Seria Jesus uma especie de Hercules moderno?... meio homem e meio Deus, ganhou vida eterna, teve 12 trabalhos (apostolos) e tals....
    Sempre os seres humanos e sua necessidade de ter um herói mítico que iria (ou irá) salvar o mundo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Iuri Miranda, esse não é o assunto debatido nesse artigo, mas como nosso blog defende a perspectiva cristã, comentarei rapidamente.
      Quem disse que o Deus judaico-cristão é mitologia romana, quando temos provas - e os especialistas sérios não contestam isso - que os romanos perseguiam os cristãos? A doutrina cristã ia contra as diretrizes de roma, então não faz sentido dizer que o Deus bíblico se encaixa com mitologia. A discussão já começa a partir daí. Nosso Deus, o Deus cristão, é manifesto até hoje na vida dos cristãos, e é diferente dos deuses das mitologias, tanto é que a Bíblia continua se sustentando em pé frente ao avanço da ciência moderna (nosso blog mostra isso), ao contrário dos fundamentos das mitologias de outros deuses. Mas, sobre Jesus, essa comparação entre Jesus e Hercules, bem como de outras divindades, é algo iniciado por teólogos liberais do século 19 e tais comparações são bastante falhas (até porque a maioria dos historiadores admitem que Jesus existiu de fato)... recomendo a leitura dos artigos desse site: http://y-jesus.org/portuguese/

      Excluir
  19. Leia

    creation.com

    answeringensis.org

    Algumas coisas das quais você fala no seu blog são refutadas aqui

    ResponderExcluir
  20. amigão, li seu texto todo, qual a probabilidade de todos os povos fazerem imagens perfeitas desses animais juntamente com humanos, sem ao menos ter visto? 2 - Qual a probabilidade deles terem mentido? Probabilidade é matemática, matemática é ciência. Inclusive a palavra Beheemoth eu vendo uma notícia no discovery sobre dinossauros, o proprio programa chamava os animais de beheemoth, foi ai que eu busquei na biblia e entendi do que se tratava. 2 o termo dinossauro não poderia existir na biblia, pois é um termo recente ( mais ou menos 100 anos ) dinos e sauros, reptil assustador ou algo do gênero, a bíblia foi escrita a mais tempo do que isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Asterasco! Fico feliz de ler todo o artigo. Esse artigo só dá uma pincelada sobre a questão "dinos na arca", mas se quiser saber sobre as imagens "perfeitas" dos animais e do Behemoth te passo dois links que vão te interessar:
      http://genesisum.blogspot.com.br/2012/07/lenda-dos-dinossauros-parte-1.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/05/quem-foi-o-behemoth-do-livro-de-jo.html

      Forte abraço!

      Excluir
  21. Religião .......o mal e a farsa juntos !!!!

    ResponderExcluir
  22. Acho esses tipo de discussão não tem nem uma edificação espiritual pra que lutar por coisas q não tem edificação se os dinossauros existirão ou não aqueles que forem para o céu pergunta pra Deus eu particularmente acredito só não sei em q época eles viverão ou morrerão mas isso é besteira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dinossauros existiram com certeza, eu mesmo tenho alguns fósseis deles (originais e réplicas). Visite um museu próximo a você e verá. Agora, que a existência de dinossauros não serve de edificação espiritual, concordo. No entanto, eles podem nos mostrar detalhes sobre a criação, que está em Gênesis, e daí viria a edificação espiritual.Paz do Senhor!

      Excluir
  23. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir